Febre em crianças: Mitos e Fatos

Publicado por em 07/04/2015 às 15h59

Há muitos mitos sobre a febre, alguns dos quais poderão deixar os pais desnecessariamente preocupados. Se o seu filho tiver febre, o mais importante será o seu aspecto e comportamento.

Febre em crianças: Mitos X Verdades

Febre em crianças: Mitos X Verdades

Mito: É útil que a temperatura tenha uma graduação exata.

Fato: A graduação exata poderá ser útil quando está em causa a assistência a bebés muito pequenos ou crianças com determinados problemas de saúde crónicos. Todavia, a parte mais importante em avaliar uma criança com febre consiste no seu aspecto e comportamento, sobretudo após o tratamento da febre com medicamentos. Uma criança que parece bem mas cuja temperatura é elevada, por exemplo, é menos preocupante do que uma criança que tem apenas uma febre ligeira mas que parece não se sentir bem ou que não está receptiva. A febre alta poderá estar associada a algumas doenças virais menos graves, enquanto que uma temperatura anormalmente baixa pode estar associada a algumas infecções bacterianas graves.

Mito: A febre causa lesão cerebral

Fato: A maioria das febres associadas a infecções atingem menos de 42°C (108°F) e não causam lesões cerebrais. Estas somente poderão ocorrer se houver, repetidas vezes, uma temperatura corporal superior a 44°C (110°F), sendo mais provável que tais temperaturas surjam com golpes de calor ou após uma exposição a determinados medicamentos ou drogas ilícitas, designadamente anestésicos ou alguns medicamentos psiquiátricos. Não é provável que ocorram com as infecções normais das crianças.

Mito: A febre é nociva para as crianças

Fato: A febre é apenas um sinal indicador de que o sistema imunológico do organismo foi ativado. A febre em si também pode ajudar a combater infecções porque muitos micróbios também não sobrevivem perante temperaturas ligeiramente mais altas. Neste aspecto, embora a criança possa sentir-se incomodada, a maioria das febres tem efeito benéfico e poderá ajudar o corpo a combater a infecção. Ajudar a criança a sentir-se melhor constitui a principal razão para tomar medicamentos para baixar a febre.

Mito: A febre deve sempre reagir a um medicamento antipirético

Fato: Normalmente, os medicamentos antipiréticos ajudam a baixar a febre, embora nem sempre seja assim. Por vezes, a febre continua mesmo depois de se tomar medicamentos. Quer estes façam, ou não, efeito em baixar a febre, não existe uma relação com a gravidade da infecção.

Mito: A febre deve reagir rapidamente a um antibiótico

Fato: Os antibióticos são apenas úteis no tratamento das infecções bacterianas, não tendo qualquer efeito sobre as infecções virais. A maioria das infecções é causada por vírus. Por conseguinte, os antibióticos não têm qualquer efeito sobre elas. No caso das infecções bacterianas, o antibiótico começa a fazer efeito no combate à bactéria assim que for tomado, embora possa demorar alguns dias até a febre desaparecer.

Pontos principais

  • Normalmente, a febre é um sinal de que o corpo está combatendo uma infecção.
  • A temperatura precisa da criança é menos importante do que o seu aspecto e comportamento.
  • Para manter a criança confortada, esta não deve estar vestida com roupas muito quentes, deve beber mais líquidos e tomar acetaminofeno (Parecetamol) ou ibuprofeno.
Tags: Febre, Saúde do Bebê, Saúde Infantil

Enviar comentário

voltar para Saúde

left tsN center fsN fwR bsd b01 c15n show|left fwR tsN b01s bdt|left show fwR normalcase tsN bdt b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 c05 sbse fwB bdt|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase fwB c05 b01 bdt|tsN fwR normalcase c15nesw b02 bdt|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||