Zika Vírus, o que é importante saber durante a gravidez

Publicado por em 01/02/2016 às 22h27

A infecção causada pelo ZiKa Vírus é um grande problema que as gestantes enfrentam, atualmente, no Brasil. E não é para menos! 

Mas o que fazer? A informação e a prevenção são os primeiros passos! 

É possível levar uma gravidez mais tranquila?

Vamos entender mais sobre esse vírus que preocupa tanta gente e tem tirado o sono das futuras mamães.

Já não é fácil ter que escolher o melhor plano de saúde para o bebê, procurar um obstetra de confiança e preparar-se para ter um parto em uma maternidade com boa infraestrutura. E como se já não bastassem tantas preocupações que uma gestante necessita ter, devido à situação em que se encontra o atual sistema de saúde pública brasileiro, com toda a sua precariedade agora vem mais uma dor de cabeça: prevenir-se para não ser picada pelo aedes aegypti.

Se você tomar todos os cuidados, verá que não há motivo para entrar em pânico. Veja só: 

O Zika Vírus

O Zika Vírus, Características do mosquito Aedes Aegypti:É um vírus transmitido pelo mesmo mosquito transmissor da dengue, da Chikungunya e da febre amarela, o já conhecido aedes aegypti. 

O Zika tem esse nome porque o lugar onde ele foi isolado pela primeira vez em macacos, ocorreu em uma floresta que se chama Zika, em Uganda, no ano de 1947.  Em 1948, esse mesmo vírus foi identificado no mosquito aedes aegypti. Um pouco depois, em 1952, houve o  primeiro relato, na Nigéria. 

Desde o ano passado, em 2015, esse vírus vem tirando o sono de muita gente no Brasil, onde já foram constatados mais de 1700 casos e o surto foi reconhecido, pela Organização Mundial de Saúde, como um caso de emergência de saúde pública internacional…

Há estudos, ainda não comprovados, de que o vírus Zika pode ser transmitido também por relação sexual ou pelo leite materno, pois em 2008, no Senegal, foram encontradas amostras do vírus em sêmen humano. É importante se cuidar! 

Características do mosquito Aedes Aegypti:

  • Costuma medir menos de 1 cm.
  • Não emite zumbido.
  • Fêmea necessita de sangue humano.
  • Comportamento diurno.
  • Muito presente em ambientes quentes.

     

A infecção, causada pelo Zika, pode provocar, no feto:

  • Anomalias congênitas, como por exemplo a microcefalia, que é o que mais tem preocupado as gestantes;
  • Síndromes neurológicas;
  • Morte.

O diagnóstico. Como é feito? O que é importante saber? 

Em primeiro lugar, assim que o teste de gravidez der positivo o mais importante a ser feito é um pré-natal, até mesmo porque a microcefalia não é causada apenas pela transmissão do Zika vírus. São várias outras causas que somente exames mais apurados, como ressonâncias, ultrassonografias, etc., podem comprovar. 

Então, é mais do que primordial que a gestante tenha um acompanhamento de pré-natal bem feito, para que se saibam as verdadeiras causas da microcefalia do bebê, se realmente é causada pelo vírus ou por outro motivo, como uma síndrome genética. Além disso, já existem muitos relatos de mães que foram picadas pelo mosquito, tiveram a infecção pelo Zika, mas a criança não nasceu com microcefalia.

Quais são sintomas da infecção?

A doença, provocada pela picada do inseto, é uma infecção muitas vezes assintomática. Porém, quando chegam a aparecer alguns sintomas, são muito parecidos com os da dengue:

  •        Febre, que tende a ser mais baixa;
  •        Erupção cutânea muito marcante;
  •        Coceira;
  •        Dores de cabeça;
  •        Conjuntivite (mais raro);
  •        Mialgia (dores musculares).

O que é microcefalia? Quais as causas?

MICROCEFALIA significa que o perímetro cefálico ou a circunferência da cabeça está diminuída, ou seja, que o cérebro da criança, ainda no útero, não cresceu dentro dos padrões considerados normais para um recém-nascido, por causa de alguma alteração da formação cerebral. Por que isso acontece?

Algumas causas:

  • Malformações do sistema nervoso central.
  • Redução do oxigênio para o cérebro do feto: algumas complicações na gravidez podem diminuir a oxigenação do cérebro.
  • Consumo de drogas ou de álcool durante a gravidez.
  • Desnutrição da gestante.
  • Rubéola congênita na gravidez.
  • Toxoplasmose na gestação.
  • Infecção congênita por citomegalovírus.
  • Fenilcetonúria materna.

Daí a importância do acompanhamento durante o pré-natal, porque, caso a criança tenha nascido com microcefalia, é importante que a família tenha orientações adequadas e saiba com lidar melhor com a situação. A microcefalia não tem tratamento, nem tem cura, mas há como prevenir. 

Como prevenir as infecções por Zika? Cuidados que a gestante precisa ter.

A prevenção, com certeza, é a melhor maneira! A prevenção contra infecções provocadas pelo vírus deve ser feita em uma árdua batalha contra o mosquito transmissor. Como ainda não existe vacina contra o vírus, combater o mosquito é a melhor saída. Veja:

  1. Como prevenir as infecções por Zika? Cuidados que a gestante precisa ter.Em primeiro lugar, como você já deve saber por causa das campanhas contra a dengue, verifique todos os locais de sua casa, constantemente, para que não fique água parada em hipótese alguma. Busque possíveis criadouros do mosquito e elimine-os.
  2. Mesmo não se tendo certeza das outras formas de contaminação, peça seu parceiro para utilizar preventivo sempre!
  3. Utilize roupas para proteger a pele. A meia compressora que os médicos receitam para as gestantes usarem para prevenir as varizes, pode ter outra função também: deixar suas pernas menos expostas à picada de insetos.
  4. Pergunte ao seu ginecologista o repelente que você pode usar. Cuidado com esses produtos que algumas pessoas ficam recomendando por aí! Seu médico sabe qual repelente mais indicado para você.
  5. Utilize mosquiteiros para dormir.
  6. Proteja portas e janelas com telas, para evitar a entrada do mosquito.
  7. Evite viajar para os locais que apresentam maior número de casos. Se você está grávida e pretende viajar para o nordeste, é melhor adiar a viagem. Você terá muito tempo para fazer isso.

Uma curiosidade

Já foi comprovado que o mosquito é “urbano”, ou seja, gosta de ficar no meio urbano, principalmente quando se trata de ambientes quentes. No nordeste, região mais quente do país, é onde podemos encontrar os maiores casos. Então, vale a pena pensar nisto: evitar ficar em locais muito quentes. Sempre que possível, use o ventilador ou o ar-condicionado. 

Atenção! Não significa que todo mundo esteja seguro assim, mas que você estará menos propensa de ser picada pelo mosquito, isso é fato. Evite ambientes muito quentes.

E a pergunta que insiste em incomodar tantas mulheres! “Quero engravidar. É necessário mudar os planos agora?” E a resposta é sim, por enquanto! É por pouco tempo! Se você já está em uma idade mais “avançada”, são alguns meses, apenas. Faça isso por você e, principalmente, pelo seu bebê.

A melhor opção é engravidar no inverno, época de menor incidência dos mosquitos e consequentemente de menor circulação do Zika vírus. Além disso, também é mais confortável para a gestante, pois é possível usar roupas que deixam o corpo menos exposto, também.

Vale a pena esperar, afinal a gravidez é uma fase para se curtir, não para se preocupar e ficar tão aflita e sofrida.  

 

Tags: Gravidez, Saúde Na Gravidez, Zika Vírus

Enviar comentário

voltar para Saúde

left tsN center fsN fwR bsd b01 c15n show|left fwR tsN b01s bdt|left show fwR normalcase tsN bdt b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 c05 sbse fwB bdt|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase fwB c05 b01 bdt|tsN fwR normalcase c15nesw b02 bdt|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||