Os riscos de uma gravidez prolongada

Publicado por em 04/02/2015 às 01h00

Gravidez prolongada

Gravidez Prolongada

Você sabe sobre os riscos deu uma gravidez prolongada? Pois é, ninguém quer que o bebê nasça antes da hora, mas poucos sabem que demorar também não é bom. O problema é que toda “infraestrutura” para armazenar e manter o bebê seguro dentro da mãe tem data de validade.

E essa validade começa a contar a partir do primeiro dia do último período menstrual da mulher. Esse seria o primeiro dia de sua gestação, afinal é iniciou o ciclo para que o óvulo (que resultou no seu bebê) começasse o seu processo. A partir desta data, os médicos contam semanalmente o período de gestação.

O que é uma gravidez prolongada ?

Segundo o Ministério da Saúde, uma gestação normal ocorre em 40 semanas. Quando essa data é ultrapassada, já é considerada uma gravidez prolongada. Se o nascimento ocorrer depois da 42ª semana, é chamada de gravidez pós-termo.

A experiência dos especialistas mostra que aproximadamente 13% das gestações são prolongadas aqui no Brasil. Mas vale lembrar que isso também decorre de um possível erro de cálculo da idade gestacional. Por isso o mais importante, além de ter essa data como critério, é examinar a saúde do bebê e da mãe no final da gravidez.

E por que essa preocupação? Porque a placenta envelhece. Esse órgão é formado especialmente para cuidar do bebê durante os nove meses. A placenta é a responsável pela alimentação e respiração do bebê, e é isso que o faz se desenvolver e crescer de forma saudável. Mas quando chegam ao final da gravidez, as funções placentárias começam a falhar, principalmente depois da 40ª semana. Com isso, o desenvolvimento e a própria vida do bebê correm riscos.

Além da perda de suporte da placenta, os riscos de uma gravidez prolongada se estendem para o parto. Com a data de validade vencida de toda a estrutura da gravidez, no momento do parto o bebê pode acabar aspirando mecônio (que só deveria ser expelido depois do nascimento). Isso pode lhe causar sequelas graves e até a morte.

Por que ocorre a gravidez prolongada?

Há várias causas para uma gravidez prolongada ocorrer. Uma delas é quando o bebê apresenta alguns tipos de síndromes, como a anencefalia, e ocorre a baixa no nível de sulfato de dehidroandrosterona. Mas quem está na primeira gestação ou tem uma idade mais avançada deve ficar atenta também.

Por tudo isso, é importante monitorar o desempenho da placenta e o desenvolvimento do bebê no final do último trimestre. Existem exames específicos que mostram a quantidade de oxigênio que chega ao bebê, sendo possível calcular até que ponto ele está seguro: dopplervelocimetria, cardiotocografia, amnioscopia e ultrassonografia. O objetivo de todos eles é avaliar a vitalidade fetal através do monitoramento dos movimentos fetais e da troca de nutrientes e oxigênio entre a mãe e o bebê. 

Em alguns casos, quando o médico percebe que pode haver riscos, ele induz o parto caso a gestante não apresente nenhum risco para complicações. É possível realizar o parto normal sem grandes problemas, usando medicações que levam ao trabalho de parto. Mas quando há problemas de saúde da mãe ou mesmo para o bebê, pode ser necessária a realização de uma cesárea para garantir a segurança de ambos.

Tags: Gravidez, Saúde Na Gravidez

Enviar comentário

voltar para Saúde

left tsN center fsN fwR bsd b01 c15n show|left fwR tsN b01s bdt|left show fwR normalcase tsN bdt b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 c05 sbse fwB bdt|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase fwB c05 b01 bdt|tsN fwR normalcase c15nesw b02 bdt|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||