Descolamento de placenta: Sintomas, causas e tratamento

Publicado por em 22/02/2016 às 21h55

O rompimento ou descolamento prematuro da placenta não é muito comum, mas existe tratamento.

O que é descolamento de placenta?

O que é descolamento de placenta?

“A placenta é uma estrutura que se desenvolve no útero durante a gravidez para nutrir o bebê”. Porém, se a placenta se separa da parede interna do útero, antes do parto - parcial ou totalmente - pode privar o bebê de oxigênio e nutrientes e causar sangramento na mãe. 

O descolamento prematuro da placenta , muitas vezes, acontece de repente e, se não for tratado, pode colocar a mãe e o bebê em risco.

Normalmente, isso ocorre no terceiro trimestre, mas pode ocorrer a qualquer momento, como por exemplo após a 20ª semana de gravidez. Em apenas cerca de 1 % de todas as mulheres grávidas poderá ocorrer o descolamento prematuro da placenta, e a maioria pode ser tratada com sucesso, dependendo do tipo da separação que ocorre.

Quais são os sinais e sintomas de descolamento prematuro da placenta?

Os sinais e sintomas de descolamento prematuro da placenta incluem;       

  • hemorragia vaginal;      
  • dor abdominal;        
  • dor nas costas;
  • sensibilidade uterina.

Quando a placenta se rompe, ocorrem contrações uterinas rápidas, muitas vezes chegando uma após a outra, além de dor abdominal e dor nas costas. A quantidade de sangramento vaginal pode variar e não corresponde necessariamente ao tanto que a placenta foi separada da parede interna do útero. É ainda possível ter um descolamento prematuro da placenta grave e sem sangramento visível, se o sangue fica preso dentro do útero pela placenta.

Em alguns casos, o descolamento prematuro da placenta se desenvolve lentamente. Se isso acontecer, você pode notar sangramento vaginal leve e intermitente.

Quando consultar um médico?

Procure atendimento de emergência se você sentir quaisquer sinais ou sintomas de descolamento prematuro da placenta.

Quais são as causas?

A causa específica de descolamento prematuro da placenta é muitas vezes desconhecida. As possíveis causas incluem trauma ou lesão do abdômen - a partir de um acidente de carro ou queda, por exemplo - ou perda rápida do fluido que envolve e amortece o bebê no útero ( líquido amniótico ).

Se você já teve descolamento prematuro da placenta antes, em outra gestação, você tem maior risco de sofrer de novo.

Alguns casos prováveis:

  • Hipertensão - A pressão arterial elevada - seja crônica ou como resultado de uma gravidez - aumenta o risco de descolamento prematuro da placenta.
  • Gravidez múltipla - Se você está grávida de mais de um bebê, pode acontecer o rompimento prematuro.
  • A idade materna - O descolamento prematuro da placenta é mais comum em mulheres mais velhas, especialmente depois de 40 anos de idade.

Diagnóstico

Se o seu médico suspeita de descolamento prematuro da placenta, ele vai fazer um exame físico para verificar se há sensibilidade uterina ou rigidez. Para ajudar a identificar possíveis fontes de sangramento vaginal, você pode precisar de exames de sangue ou um ultrassom.

Tratamentos

Não é possível recolocar uma placenta que está separada da parede do útero. As opções de tratamento para descolamento prematuro da placenta dependem de cada gravidez, das condições da mãe e do bebê. Dependem de vários fatores, como a severidade da separação placentária, da localização da placenta e da fase da gravidez.

O que mais os médicos recomendam é que a gestante faça repouso absoluto e, na maioria dos casos, funciona mesmo. Se o descolamento acontece nas primeiras semanas de gravidez, as chances de sucesso no tratamento são ainda maiores. Já, se ocorre perto da 30ª semana, os médicos monitoram mãe e bebê e costumam esperar, caso não haja risco para os dois. Na maioria dos casos, o parto precisa ser feito por cesariana.

Existe prevenção?

Você não pode impedir diretamente o descolamento prematuro da placenta, mas você pode diminuir certos fatores de risco que tornam o descolamento prematuro da placenta mais provável. Por exemplo:

  • Não fumar ou usar drogas. Se você tem pressão arterial elevada, converse com seu médico para controlar a condição.
  • Se você já teve qualquer tipo de trauma abdominal - a partir de um acidente, queda ou outros ferimentos - procure ajuda médica imediata por causa do aumento do risco de descolamento prematuro da placenta e outras complicações.
  • Se você teve um descolamento prematuro da placenta e planeja uma uma nova gravidez, fale com o seu médico para ver se há alguma maneira de reduzir o risco de outro descolamento.

Nas consultas de pré-natal, é importante que você relate tudo o que esteja sentindo. É uma maneira de você se sentir mais segura e tranquila para cuidar do futuro bebê.

Tags: Gravidez, Placenta, Saúde Na Gravidez

Comentários

raquel em 09/08/2017 13:31:55
Eu estava com 8 semanas, quando a placenta descolou... infelizmente meu bb nao resistiu; mas nao desanimei sei que Deus me dara uma nova chance. Bjsss meninas
Katia Cristina de Oliveira Souza em 06/06/2017 23:34:11
Faz 1 e 8 meses que tive minha filha tive deslocamento de placenta não sabia o que era isso soube depois que ela nasceu os médicos falaram que nois duas nascemos de novo
Gostaria de saber se posso ter complicações depois, pois sinto muitas dores na região onde me operei e resentimente minha filha pulou na minha operação e estou com muitas dores.
Érica Maria Alves Da Silva em 06/01/2017 15:31:02
Oi tenho 17 anos e estou gravida de 1mês e 2 semanas,fiz uma ultra e deu que minha placenta estava descolada mais não e muito grande o medico me medicou e pediu repouso só que estou muito nervosa com tudo isso ....

Enviar comentário

voltar para Saúde

left tsN center fsN fwR bsd b01 c15n show|left fwR tsN b01s bdt|left show fwR normalcase tsN bdt b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 c05 sbse fwB bdt|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase fwB c05 b01 bdt|tsN fwR normalcase c15nesw b02 bdt|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||