Colestase na gravidez

Publicado por em 10/02/2016 às 22h28

Algumas mulheres começam a desenvolver uma coceira intensamente desconfortável no final da gravidez, mas não apresenta nenhum risco de longo prazo para uma futura mãe. A causa mais comum dessa coceira é a colestase, uma doença de fígado comum, que só acontece na gravidez. 

Colestase na gravidez: Saiba mais sobre as causas, os sintomas e o tratamentoImagem: americanpregnancy.org

 Colestase na gravidez: Saiba mais sobre as causas, os sintomas e o tratamento

A colestase é uma condição na qual o fluxo normal de bílis na vesícula biliar é afetado pelas quantidades elevadas pelos hormônios da gravidez. É uma doença definida pelos médicos como colestase extra-hepática, quando ocorre fora do fígado. E de colestase intra-hepática, quando ocorre no interior do fígado, ou ainda, colestase obstétrica.

Essa doença é mais comum no último trimestre da gestação, quando os hormônios estão em seu pico, mas geralmente desaparece dentro de poucos dias após o parto.

De acordo com o Hospital Medical Center de Cincinnati Children, nos Estados Unidos, a colestase ocorre em aproximadamente 1 em cada 1.000 gestações, mas é mais comum em grupos étnicos suecos e chilenos. 

O que causa a colestase na gravidez?

Os hormônios da gravidez afetam a função da vesícula biliar, resultando em retardar ou parar o fluxo de bile. A vesícula biliar detém o que é produzido no fígado, o que é necessário na degradação das gorduras na digestão. Quando o fluxo de bile é interrompido ou retardado, provoca um acúmulo de ácidos biliares no fígado, que podem derramar na corrente sanguínea.

Quais são os sintomas da colestase da gravidez?

  • Coceira intensa, especialmente nas mãos e pés (muitas vezes é o único sintoma percebido).
  • Cor escura urina.
  • Amarelamento da pele e do branco dos olhos (icterícia).
  • Coloração clara de evacuações.
  • Fadiga ou cansaço.
  • Perda de apetite.
  • Depressão.
  • Náusea.

Quem apresenta risco de adquirir colestase na gravidez?

Em 1000, de  1 a 2 grávidas são afetadas pela colestase. E as seguintes mulheres têm um maior risco de contrair colestase durante a gravidez

  • As mulheres que carregam múltiplos.
  • As mulheres que têm antecedentes de lesões hepáticas.
  • Mulheres cuja mãe ou irmãs tiveram colestase.

Como é diagnosticada a colestase na gravidez?

Um diagnóstico de colestase pode ser dado, através de um completo histórico médico da paciente, e também por meio de exames físico e de sangue, que avaliam a função hepática, os ácidos biliares e a bilirrubina.

O bebê ser afetado se a mãe é diagnosticada com colestase?

Se não for tratada, a colestase pode aumentar os riscos de sofrimento fetal, parto prematuro ou nascimento de criança morta. Um bebê em desenvolvimento depende de fígado da mãe para eliminar os ácidos biliares do sangue; portanto, os níveis elevados de bile materna causam estresse no fígado do bebê.

Sendo assim, mulheres com colestase devem ser cuidadosamente monitadas e deve ser dada uma atenção especial ao bebê, uma vez que os pulmões do bebê não tenham atingido a maturidade, em casos de risco de parto prematuro.

Qual é o tratamento para a colestase na gravidez?

Os objetivos do tratamento para a colestase são, a princípio, para aliviar a coceira.

Algumas opções de tratamento incluem:

  • Medicamentos antialérgicos ou medicação tópica com corticosteroides, mas apenas sob orientação médica.
  • A medicação para diminuir a concentração de ácidos biliares, tais como ácido ursodesoxicólico, também sob supervisão médica.
  • Banhos de água fria e gelo para abrandar o fluxo de sangue no corpo, diminuindo a temperatura.
  • Os suplementos de vitamina K, administrados à mãe antes do parto e, novamente, uma vez que o bebê nasce para evitar hemorragia intracraniana.
  • Testes semanais que envolvem gravações de monitorização cardíaca e contração fetais.
  • Exames de sangue regulares de controle, para verificar os níveis séricos de bile e função hepática.

O tratamento para a colestase da gravidez precisa ser determinado pelo seu médico, que terá os seguintes critérios em consideração:

  • Sua gravidez, saúde geral e história médica.
  • A extensão da doença.
  • Sua tolerância de medicamentos, procedimentos ou terapias específicas.
  • As expectativas para a evolução da doença.
  • Sua opinião ou preferência.

Quais são as chances da mãe obter colestase em outra gravidez?

É quase impossível saber se uma mulher vai experimentar colestase em futuras gestações. Algumas fontes afirmam que as mulheres que tiveram colestase na gravidez têm até 90% de chance de ter essa repetição em futuras gestações, mas a pesquisa não é conclusiva.

Na verdade, o que causa colestase na gravidez não é clara. Pode haver um componente genético. Os hormônios da gravidez também podem desempenhar um papel importante, pois a bílis é um fluido digestivo produzida no fígado, que ajuda o sistema digestivo quebrar as gorduras . É possível que o aumento dos hormônios da gravidez - tal como ocorre no terceiro trimestre - possa retardar o fluxo normal de bílis para fora do fígado. Eventualmente , a acumulação de bílis no fígado permite que os ácidos biliares entrem na corrente sanguínea.

O que você pode fazer?

  • Anote quaisquer sintomas que você esteja percebendo. Inclua todos os seus sintomas, mesmo se você não acha que eles estão relacionados. 
  • Faça uma lista de todos os medicamentos e vitaminas para gestante. Anote doses e quantas vezes você usa-os.
  • Na consulta, anote as informações que seu médico lhe passar, assim você se sentirá mais tranquila. Converse com ele. Muitas vezes, nos sentimos inseguras quando precisamos perguntar alguma coisa ao obstetra, mas é importante.

Lembre-se sempre de tirar dúvidas com seu médico, pois é natural, principalmente na primeira gestação, apresentarmos algum tipo de ansiedade e inquietações com relação ao nosso corpo e com o desenvolvimento do bebê. É novidade e isso faz parte da gravidez.

 
Tags: Colestase, Gravidez, Saúde Na Gravidez

Enviar comentário

voltar para Saúde

left tsN center fsN fwR bsd b01 c15n show|left fwR tsN b01s bdt|left show fwR normalcase tsN bdt b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 c05 sbse fwB bdt|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase fwB c05 b01 bdt|tsN fwR normalcase c15nesw b02 bdt|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||