Prevenindo-se contra incêndio

Publicado por em 17/02/2013 às 10h34

Um pequeno incêndio pode-se tornar fatal em questão de minutos. Para ajudar a evitar uma tragédia, inspecione minuciosamente sua casa para eliminar riscos em potencial. Prepare sua casa para uma emergência e ensine para sua família os perigos de um incêndio e como escapar dele.

• Designe uma saída de emergência, desta forma todos os membros da família podem ser contados rapidamente;

Prevenindo-se contra incêndios

 Ensine a criança contra incêndios

• Caso sua casa tenha detectores de fumaça, as crianças devem conhecer o som do aparelho;

• Durante o incêndio, arrastar-se embaixo da fumaça evita intoxicação;

• Muitas mortes são causadas pela fumaça e gases tóxicos;

• Toque nas portas antes de abri-las. Se a porta está quente, use uma saída alternativa;

• Nunca volte para um prédio em chamas. As crianças devem ser lembradas para não parar ou voltar por alguma razão, como um brinquedo ou para ligar para o número de emergência. A ligação para a emergência deve ser feita depois de deixar o edifício ou a casa;

• "Pare, caia e role”. Se pegar fogo nas roupas da criança pare, faça-a cair no chão e rolar de um lado para o outro rapidamente para extinguir as chamas.


Saiba mais


• O fogo exerce uma atração quase mágica na infância. A “brincadeira” tende a começar no quarto, quando estão sozinhos com fósforos ou isqueiros, e se transformar em um incêndio de grande proporção.

• A maioria dos incêndios residenciais com mortes na faixa etária até 9 anos ocorre quando as crianças estão tentando escapar, mas não são capazes de agir ou estão agindo irracionalmente. As crianças mais novas correm um risco ainda maior.

• Não existem fogos de artifício inofensivos. Esses produtos causam, geralmente, queimaduras de segundo grau que necessitam de uma média de 15 dias de tratamento médico. Além disso, eles podem explodir nas mãos, mutilando o manipulador.

• Dados da Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ) mostram que, durante as festas juninas, os atendimentos a pessoas que sofreram queimaduras nas emergências dos hospitais chegam a dobrar. Mais de 80% das vítimas são crianças. Os motivos para esta alarmante incidência: a imprudência no uso de materiais inflamáveis e explosivos (fogos de artifício, balões) e brincadeiras perto das chamas das fogueiras;

• Segundo estimativa da SBQ, 45.000 crianças sofrem queimaduras por causa do álcool líquido.;

• As crianças que vivem em áreas rurais correm mais risco de sofrer incêndios residenciais devido ao uso de candeeiro e fogão a lenha.


Em tempos de racionamento de energia


• Velas devem ficar dentro de recipientes não inflamáveis e que as mantenham em pé como vasos.

• Não deixe velas perto de tecidos, como cortinas e lençol, ou de estruturas de madeira, como santuário e cabeceiras de cama.

• Apague as velas ao sair de casa.

• Se possível, substitua velas e candeeiros por lanternas.

 

 

Enviar comentário

voltar para Em Geral

left tsN center fsN fwR bsd b01 c15n show|left fwR tsN b01s bdt|left show fwR normalcase tsN bdt b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 c05 sbse fwB bdt|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase fwB c05 b01 bdt|tsN fwR normalcase c15nesw b02 bdt|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||