Você conhece a diferença entre os métodos de ensino?

Publicado por em 19/03/2018 às 14h15

Métodos de ensino

Uma dúvida muito comum que surge entre pais e mães quando o assunto é colocar os filhos na escola é o seu método de ensino, não é mesmo? Para ajudar a esclarecer e a entender a diferença entre os métodos, a Larissa Fonseca que é pedagoga nos ajudou respondendo algumas dúvidas e criando uma tabela comparativa entre os métodos.

1. Qual a importância dos diferentes métodos de ensino?

Os diferentes métodos de ensino, sejam seguidos individualmente ou a combinação de alguns pela instituição, são importantes pois atendem as diferentes características, necessidades e expectativas dos alunos e famílias e assim, o aluno consegue aproveitar melhor e de modo mais construtivo o que o ensino e a educação escolar lhe oferecem.

2. Por que os pais e responsáveis, ao buscar uma escola devem estar atentos a isso? Este é o primeiro dos fatores que devem ser levados em consideração no momento da escolha?

O método de ensino da Escola é a maneira pela qual a Instituição organiza as propostas educativas para atingir os objetivos de ensino/aprendizagem. Essas estratégias norteiam as ações e procedimentos adotados pela Escola tudo o que a ela está vinculado. Assim, é importante que os pais estejam atentos para que escolham uma Escola cujo método de ensino esteja de acordo com seus objetivos, e expectativas para a educação acadêmica dos filhos. Além disso, o método de ensino também deve estar d acordo cm a característica e necessidades dos filhos.

Dificilmente um aluno que se dispersa facilmente, que em casa não tem tanta disciplina ou cobrança vai se adaptar a uma Escola que segue um método de Ensino mais Tradicional, assim como um aluno que tem pouco convívio social, tem indicação de ir para uma escola com mais alunos por sala para ampliar esses contatos sociais. Esse é sim um dos principais fatores a ser considerado no momento da escolha da Escola dos filhos.

3. Quais outros aspectos devem nortear a busca por uma escola?

Primeiramente é importante averiguar as questões práticas como localização, gastos gerais que vão além da anuidade (mensalidades, materiais, passeios, etc); característica/personalidade/necessidade do filho; valores e dinâmica familiares (os pais devem ter em mente qual educação querem para o filho. Existem escolas com foco mais humanizado, outras mais exatas, aquelas que focam na competitividade, algumas com foco de ampliação cultural, enfim. Assim, os pais devem buscar a Instituição que se encaixa nas expectativas para os filhos e evitar buscar a escola só porque esta bem conceituada em rankings ou porque o amigo colocou o filho e gostou). Levar em consideração a opinião dos filhos também é importante.

Para Escolher a Escola mais adequada para colocar os filhos os pais devem considerar:

  • Quais são os valores e educação que pretendem para os filhos e averiguar se a Escola segue e reforça essas expectativas;
  • Os valores da escola e a linha que a instituição segue na educação dos alunos devem estar de acordo com os da família.
  • É fundamental verificar a formação dos profissionais da escola, observar a adequação dos recursos pedagógicos (livros, materiais didáticos etc.)
  • Estrutura e os espaços da escola (disposição e adequação dos móveis e materiais, limpeza, segurança, laboratórios);
  • Conhecer a proposta pedagógica, filosofia e métodos de ensino da Escola e averiguar se na prática isso é aplicado; 
  • Verificar se a escola promove reuniões pedagógicas, cursos e propostas de formação continuada para seus profissionais.
  • Visitar a Escola em um dia de aula para averiguar se na prática, aquilo que foi apresentado pela Escola funciona (peça para observar uma turma “em ação” e ver atividades e projetos realizados pelos alunos).
  • Verificar se na escola há atividades de valorização da cultura nacional e responsabilidade social.
  • Averiguar e conhecer como e quando a escola faz a avaliação dos alunos, além de qual é e como é a participação dos pais na escola.

 

Além disso, ao fim da matéria, gostaria de oferecer um comparativo sobre os diferentes métodos: Waldorf, Montessoriano, Tradicional e Construtivista (O construtivismo é mais uma linha Pedagógica e não denominado método de Ensino, mas algumas instituições utilizam essa nomenclatura. Normalmente explicamos o construtivismo como Pedagogia Construtivista)

 

Disposição das carteiras nas salas de aula

Waldorf 

Montessoriano

Tradicional

Construtivista

Não há. Normalmente a sala de aula se compõe de pequenos ambientes. As mesas são grandes para que os alunos ampliem a vivência social durante as refeições ou atividades. Uma das características mais marcantes das salas de aula montessorianas é a disposição circular da sala de aula com prateleiras com materiais acessíveis aos alunos. As carteiras normalmente estão dispostas em filas e colunas focadas para a lousa que fica á frente da sala.

Normalmente as carteiras são agrupadas para cada 2 ou 4 alunos, com prateleiras e materiais acessíveis aos alunos.

 

 


Atividades desenvolvidas

 

Waldorf 

 

Montessoriano

 

Tradicional

 

Construtivista

A Escola deve oferecer o Currículo exigido pelo ministério da Educação como:

português, matemática, ciências físicas e biológicas, história e geografia. Além disso, a Instituição Waldorf se propõe a oferecer aos alunos o matérias como astronomia, teatro, zoologia, botânica, euritmia, música, trabalhos manuais, artesanato, agrimensura, astronomia de posição, filosofia, artes plásticas e cênicas, assim como línguas estrangeiras.

Os alunos são expostos a trabalhos, jogos e atividades lúdicas, que os aproximem da ciência, da arte e da música. A partir da manipulação de objetos, jogos, livros, materiais diversos e vivências práticas de situações cotidianas, vão assimilando os conteúdos e aprendendo.

O ensino tradicional prioriza o aprendizado de conteúdos centrado na figura do professor como personagem transmissor desse conhecimento. As aulas normalmente são expositivas e os alunos têm acesso a laboratórios e outras experiências que apresentam os conteúdos a serem assimilados.

 
As escolas que seguem essa linha oferecem vivências práticas para instigar a

curiosidade do aluno, para que o mesmo encontre as respostas a partir de seus próprios conhecimentos já adquiridos em experiências anteriores. Assim, as atividades desenvolvidas 
promovem a interação do aluno com a realidade, objetos, colegas e adultos, além da manipulação dos materiais, mediante a experimentação, a pesquisa individual e em grupo, o estimulo a dúvida e o desenvolvimento do raciocínio.

 

 

 

Como são feitas as avaliações

Waldorf

Montessoriano

Tradicional

Construtivista

A avaliação dos alunos é baseada nas observações e práticas das atividades diárias, apresentadas aos pais com boletins manuscritos e descritivos periodicamente. A Pedagogia Waldorf considera que os setênios (períodos compreendidos de 0 a 7, 7 a 14 e 14 a 21 anos) revelam fases da vida com características próprias, e que em cada uma delas a criança
aprende de maneiras diferentes e ao seu tempo. Assim, os alunos são divididos em faixas etárias e não em séries e a criança estuda na mesma turma por todo esse período com o mesmo professor.

A avaliação dos alunos é realizada para todas as tarefas propostas, a partir da observação e anotações não existindo provas formais. A divisão das turmas é feita por agrupamentos de 2 anos (alunos de 5 e 6 anos estudam na mesma sala e seguem um programa único com o mesmo professor, assim como os da turma seguinte de 7 e 8, em seguida, 9 e 10 anos. O último estágio agrega alunos de 11,12,13 e 14 anos e, nesta etapa, o professor de sala tem a companhia de professores especialistas para as diferentes disciplinas.

O sistema de avaliação dos alunos normalmente é feito com provas formais de cada matéria e outras que envolvem todas as matérias e trabalhos individuais e em grupos que medem a quantidade de informação absorvida pelo aluno.

A avaliação do aluno é feita pelo permanente acompanhamento do professor e é entendida como um processo contínuo do seu desempenho rotineiro em classe. Podem existir provas periódicas, mas essas avaliações têm caráter diagnóstico (diferente do ensino convencional) e não necessariamente é o único indicador do rendimento do aluno.

 


Possibilidade de repetência

Waldorf

Montessoriano

Tradicional

Construtivista

Não há Sim ao final do ciclo de 2 anos (dificilmente ocorre) Sim (anualmente) Sim (anualmente)

 


Características comportamentais encontradas nos jovens que tornarão o método mais adequado

Waldorf

Montessoriano

Tradicional

Construtivista

É uma linha antroposófica e se adequa mais a jovens com mais facilidade em 
aprendizados alternativos que envolvam vida prática nos aspectos, físico, social, individual e espiritual

 Jovens com facilidade em aprender pela experiencia, com pensamento prático e disposição para descobertas.

Jovens que aprendem com mais facilidade a partir do acesso a informações prontas e conteúdos passados por materiais apostilados.

Jovens ativos com facilidade em aprender a partir do estabelecimento de relações entre conteúdos significativos ao qual tiveram acesso e as situações da vida prática.

 

Idade mais adequada para dar início

Não diria que existe uma idade adequada para colocar a criança em Escolas de acordo com o método de Ensino. Essa escolha é dos pais, de acordo com a Educação e experiências desejam para os filhos. Até porque, as vezes pode ser bastante difícil para a criança mudar de uma Instituição para outra cujo método de Ensino seja muito diferente. Vai demandar uma complexa adaptação e até adequação de série, turma, conteúdo, enfim. Mas vou tentar fazer uma comparação generalista visando as experiências, fases do desenvolvimento e possíveis etapas de vida da criança e adolescente

Waldorf

Montessoriano

Tradicional

Construtivista

a partir de 2 anos até por volta dos 14 para fechar o ciclo

a partir de 2 anos e dependendo do foco dos pais, até o final do ensino médio

a partir de 7 anos até o final do ensino médio a partir de 2 anos até o final do ensino médio

 

Prepara para o vestibular

Waldorf

Montessoriano

Tradicional

Construtivista

Prepara para vestibulares cujos testes focam na capacidade de criação e produção dos alunos. Por não oferecer o ensino pragmático é possível que o aluno tenha alguma dificuldade em vestibulares mais focados em conteúdos.

Prepara para vestibulares cujos testes demandam mais raciocínio, expressão de idéias e relações entre teoria e prática.

Prepara para vestibulares cujos testes são mais focados em conteúdos e a 
aprendizagem dos mesmos.

Prepara para vestibulares cujos testes visam avaliar a capacidade do aluno de estabelecer relações entre os conteúdos aprendidos e suas utilizações nas situações práticas.

 

Larissa Fonseca - Pedagoga e Psicopedagoga
 /sosmaes
Larissa Fonseca Pedagoga
/duvidas_de_mae
www.larissafonseca.com.br
 larissafonseca@larissafonseca.com.br

 11 9 9766-3996

 

Tags: Criança, Educação, Método De Ensino

voltar para Educação e Comportamento

left tsN center fsN bsd c15n show fwB b10s|left fwR tsN b10s bsd|left show fwR normalcase tsN bsd b10s|bnull||image-wrap|news login uppercase fwB|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase c05 fwR|tsN fwR normalcase|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||