Praticando e ensinando as crianças a desapegar

Publicado por em 14/07/2018 às 23h20

Praticando e ensinando as crianças a desapegar

Sabe aquele brinquedo que sua criança tem, muitas vezes nem brinca direito com ele mais, contudo, quando você ameaça pegar e dar para alguém, imediatamente ela passa a brincar e a manter o brinquedo sob o controle e vigilância dela?

Bem, isso se chama apego, que se define como a capacidade de acumular coisas. Mas, são só coisas? Não, as crianças podem vir a acumular sentimentos, pessoas, bens e para desapegar-se é um processo bem complexo.

Por que desapegar é importante?

O processo de desapegar é fundamental para que a criança venha a se tornar independente e tenha segurança naquilo que faz, pois, um dia, obviamente, deixarão de ser crianças.

Ensinar a desapegar da chupeta, das fraldas, dos brinquedos (ato também de doação) as tornarão autossuficientes e bem resolvidas.

Quais as consequências que um apego excessivo pode acarretar?

Crianças que não aceitam desapegar-se de tudo que está ao seu redor, mesmo que não lhe sirva mais, somente para não se livrar daquilo e manter sob o seu domínio, tendem a serem introvertidas, medrosas, agressivas e a chorar frequentemente.

Veja: tornam-se introvertidas, pois não aceitam encarar o mundo, fechando-se em uma espécie de “bolha”.

Assim, passam a ter medo do que as espera, dos enfrentamentos, da realidade que as cerca e tornam-se agressivas tentando proteger aquilo que está sob seu domínio, ou pelo menos que julgam estar neste controle.

Choram porque no fundo a expectativa que foi criada não corresponde com o que de fato é, pois nada permanece como pensamos ou queremos, tendo que lidar a todo instante com as adversidades que nos é imposta.

Surgem por vezes, depressões, síndromes, estresses, doenças, enfim, acredita-se que uma das lições mais conscientes que uma mãe pode ter com seu filho é ensinar a praticar o desapego.

Isso não é fácil, muito pelo contrário, é bastante complexo, mas todos nós temos capacidade de adaptação, não sendo diferente com as suas crianças.  

É uma experiência que vai trazer bons frutos em sua vida adulta, com a capacidade de lidar com as perdas, reerguendo-se quantas vezes for necessário e sabendo ajudar o próximo, tirando aquilo que está sob o nosso domínio e que nem nos serve mais, mas pode servir a outros que precisam tanto quanto um dia você precisou.

Curiosidade

O desapego tem quatro leis muito importantes para fazer com que você ajude sua criança a refletir bem. Vamos desapegar?

1ª lei: “Ninguém pode viver por você. Ninguém pode respirar por você, se oferecer como voluntário para carregar suas tristezas ou sentir suas dores. Você é o arquiteto da sua própria vida e de cada passo que dá em seu caminhar. ”

Você é responsável por si mesmo - ensine sua criança a tomar consciência que ela é responsável pelas próprias escolhas, por ela mesma.

2ª lei: “Viva no presente, aceite e assuma a sua realidade.”

Reflete sobre a dificuldade que se tem de aceitar que nesta vida nada é eterno, nada permanece sempre igual; tudo tende a fluir e retornar ao que era ou encontrar o seu caminho.

3ª lei:  “Liberte-se e permita que os outros também sejam livres.”

Ser apegado demais nunca será algo saudável, pois na necessidade do desapego, isso trará enormes problemas para essa pessoa. Pais que protegem os seus filhos obcecadamente, por exemplo, impedem que eles encarem o mundo sozinhos e saibam o momento certo de agir, pois tem sempre alguém agindo por eles.

4ª lei: “As perdas irão acontecer mais cedo ou mais tarde.”

A vida, os relacionamentos, as pessoas, os objetos, bens, tudo isto passa, e temos que saber lidar com essas perdas sem egoísmo e conscientemente. 

 

Tags: Brinquedos, Comportamento, Criança, Desapego

voltar para Educação e Comportamento

left tsN center fsN bsd c15n show fwB b10s|left fwR tsN b10s bsd|left show fwR normalcase tsN bsd b10s|bnull||image-wrap|news login uppercase fwB|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase c05 fwR|tsN fwR normalcase|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||