Como lidar com crianças superdotadas

Publicado por em 28/07/2018 às 17h14

No entanto, na maioria das vezes, a dificuldade vem da forma que os adultos tratam as crianças. Quando os pais e educadores expressam que a criança é muito inteligente, a mais inteligente da classe, a percepção que ela constrói dos colegas é negativa. O pequeno pode passar a pensar que as outras crianças da sua idade são inferiores a ele. Isso pode gerar atrito entre os colegas, podendo ocasionar o isolamento ou até mesmo bullying. Dialogar e ensinar empatia  Crianças respondem muito bem à educação através do diálogo. Principalmente crianças superdotadas, que costumam a apresentar maior capacidade de abstração e pensamento lógico. Portanto, nunca deixe de conversar com a criança sobre a facilidade que ela tem. Explique que todas as pessoas têm seu próprio jeito de ser inteligentes, e que todos poderão ter facilidades e dificuldades. Sempre que a elogiar por um trabalho bem feito, traga destaque para o esforço ao oposto da facilidade. Substitua o “você é tão inteligente, fez as contas tão fácil!” pelo “uau, parabéns por ter se dedicado a fazer as contas tão rápido”. Assim ela aprenderá que é importante perseverar e se dedicar ao realizar tarefas. Certifique-se também de explicar para a criança que está tudo bem se ela não conseguir fazer algo de primeira. Ensine que algumas coisas precisam de várias tentativas para dar certo.  Sempre ensine, também, que todas as pessoas têm o seu valor. Peça também para que os educadores não façam comentários sobre a criança ser “a melhor da sala” e que evite dizer aos outros alunos que deveriam ser mais como ela, em especial na presença da criança. Com esses cuidados, seu pequeno superdotado tem tudo para aproveitar o melhor dessa habilidade sem deixar que ela interfira no seu desenvolvimento e relações sociais!   Amanda R. Comício - psicóloga e educadora

Quando falamos de crianças superdotadas, imediatamente os pais imaginam milhares de vantagens. Seu filho terá mais facilidade na escola e no desenvolvimento, sem contar que sempre sentimos aquele orgulho. No entanto, lidar com uma criança com inteligência fora do comum pode não ser tão fácil quanto parece.

A superdotação, por incrível que pareça, pode ser considerada uma necessidade especial. Isso porque a criança precisará de estímulos diferentes, tanto nas fases do desenvolvimento quanto na vida escolar. Além disso, ela também precisará de muita orientação para aprender a lidar com frustrações e para se relacionar com seus pares.

Estímulos diferentes

A criança superdotada precisará ser estimulada de maneira diferente. Durante a fase escolar, a criança tende a perder o interesse nas atividades e os pais podem, inclusive, observar declínio nas notas. Isso acontece porque os estímulos oferecidos não apresentam desafio para a criança, e ela fica entediada. O ideal é que a escola prepare exercícios diferentes, contendo a mesma matéria, mas com um nível maior de dificuldade.

Da mesma maneira, as atividades e brincadeiras precisarão ser mais desafiadoras. Lembre-se, também, que existem diversos tipos de inteligência. Crianças podem apresentar superdotação em apenas uma delas, ou em várias.

Dificuldades com frustrações

Crianças superdotadas estão acostumadas a realizar tarefas com muita facilidade. Além disso, também ouvem frequentemente dos adultos que são inteligentes. No entanto, ninguém pode ser bom em todas as coisas e, eventualmente, a criança encontrará algo que tem dificuldade para fazer.

É comum que nesses casos a criança simplesmente desista da tarefa ou se recuse a realizá-la. Para evitar os problemas ao enfrentar frustrações, o ideal é que os pais substituam os elogios à inteligência por elogios ao esforço dedicado. É necessário também que a criança entenda que não vai decepcionar os pais se não conseguir fazer algo. Normalmente, crianças superdotadas percebem uma expectativa muito grande dos adultos, e se sente inferior quando não consegue alcançá-la.

Dificuldades de socialização

É bastante usual que crianças superdotadas apresentem dificuldades na socialização com os pares. Em parte, isso é devido aos níveis cognitivos diferentes, que podem atrapalhar a comunicação e distanciar os interesses.

No entanto, na maioria das vezes, a dificuldade vem da forma que os adultos tratam as crianças. Quando os pais e educadores expressam que a criança é muito inteligente, a mais inteligente da classe, a percepção que ela constrói dos colegas é negativa. O pequeno pode passar a pensar que as outras crianças da sua idade são inferiores a ele. Isso pode gerar atrito entre os colegas, podendo ocasionar o isolamento ou até mesmo bullying.

Dialogar e ensinar empatia

 Crianças respondem muito bem à educação através do diálogo. Principalmente crianças superdotadas, que costumam a apresentar maior capacidade de abstração e pensamento lógico. Portanto, nunca deixe de conversar com a criança sobre a facilidade que ela tem.

Explique que todas as pessoas têm seu próprio jeito de ser inteligentes, e que todos poderão ter facilidades e dificuldades. Sempre que a elogiar por um trabalho bem feito, traga destaque para o esforço ao oposto da facilidade. Substitua o “você é tão inteligente, fez as contas tão fácil!” pelo “uau, parabéns por ter se dedicado a fazer as contas tão rápido”. Assim ela aprenderá que é importante perseverar e se dedicar ao realizar tarefas.

Certifique-se também de explicar para a criança que está tudo bem se ela não conseguir fazer algo de primeira. Ensine que algumas coisas precisam de várias tentativas para dar certo.

Sempre ensine, também, que todas as pessoas têm o seu valor. Peça também para que os educadores não façam comentários sobre a criança ser “a melhor da sala” e que evite dizer aos outros alunos que deveriam ser mais como ela, em especial na presença da criança.

Com esses cuidados, seu pequeno superdotado tem tudo para aproveitar o melhor dessa habilidade sem deixar que ela interfira no seu desenvolvimento e relações sociais!

 

Amanda R. Comício - psicóloga e educadora

Tags: Comportamento, Criança, Educação e Comportamento

voltar para Educação e Comportamento

left tsN center fsN bsd c15n show fwB b10s|left fwR tsN b10s bsd|left show fwR normalcase tsN bsd b10s|bnull||image-wrap|news login uppercase fwB|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase c05 fwR|tsN fwR normalcase|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||