Como ajudar seu filho a lidar com as frustrações

Publicado por em 28/07/2018 às 16h38

Como ajudar seu filho a lidar com as frustrações

Controle emocional

O controle emocional é uma habilidade difícil de desenvolver. Afinal, lidar com as frustrações não é agradável e principalmente as crianças podem ter dificuldades para aceitar que nem sempre as coisas saem como planejado.

No entanto, ensinar essa habilidade é importantíssimo. Muitos pais tendem a proteger os filhos das frustrações o máximo possível, mas isso pode causar mais mal do que bem.

É fato que, infelizmente, você não poderá evitar que seu pequeno se frustre para o resto da vida. Eventualmente, ele precisará entrar em contato com situações adversas, limites e problemas.

Crianças que não foram ensinadas a lidar com isso encontrarão muito mais dificuldades quando adultos. Serão pessoas com tendência a desistir facilmente de seus objetivos quando encontram obstáculos, por exemplo. Por tanto, nunca é cedo demais para ensinar que nem sempre tudo acontece do nosso jeito. Mas certamente isso é muito mais fácil na teoria do que na prática.

Explosões de emoção

A habilidade de controlar emoções muito fortes é aprendida. É muito comum que crianças demonstrem explosões de raiva ou tristeza quando confrontadas com situações desagradáveis. O primeiro impulso dos pais, nesses casos, normalmente é fazer de tudo para que a criança pare de chorar. Principalmente quando estamos em público, é difícil lidar com as explosões dos pequenos.

Estamos acostumados que, quando bebês, as crianças choram porque precisam de algo. Assim como oferecer alimento para cessar o choro é natural, pode parecer para os pais que dar à criança o que ela quer é o caminho para eliminar as explosões. No entanto, agora que a criança é mais velha, é necessário que ela aprenda a usar outros recursos para se expressar – como a fala – e deixe de chorar toda vez que sente vontade de algo.

Se toda vez que a criança tem uma explosão de raiva, os adultos fazem o que ela quer, ela aprende muito rápido que esse é o melhor caminho para alcançar seus objetivos. O outro extremo também é um problema. Se a reação dos adultos é explodir também (gritar, ameaçar e bater), a criança aprenderá que esse é um método aceitável de se comunicar. Ela não exitará, por exemplo, em bater ou gritar com outras crianças e adultos que a contrariem.

Por isso, por mais difícil que seja, o ideal nesse momento é manter a calma e não ceder.

Lidando com birras e choro

Quando a criança estiver passando por um momento de explosão, abaixe-se para ficar na altura dela e tente interrompê-la com calma. Não levante a voz nem faça ameaças. Apenas diga coisas como “Ei, você não vai conseguir o que quer desse jeito” ou então “Isso não é um bom jeito de me convencer a fazer nada”. Se for necessário, deixe que a criança descarregue a emoção que está sentindo, sempre a observando de perto e mostrando que está presente. Você pode, por exemplo, colocar as mãos no ombro da criança carinhosamente ou oferecer um abraço.

Quando a criança se acalmar, o ideal é que você converse com ela sobre a explosão. Dois pontos nessa conversa são importantíssimos: estimular que a criança fale sobre o que sentiu e explicar que essa não é uma maneira apropriada de reagir.

Comece perguntando para a criança o porquê do choro ou explosão. Ajude-a a nomear os sentimentos. Pergunte se ela ficou triste ou com raiva, e pergunte por que. Depois que a criança falar sobre como se sente, é importante explicar que é normal se sentir assim. Quando falamos de emoções, nunca use expressões como “você não pode ter raiva da mamãe” ou “não pode ficar triste só por isso”. Nem nós, adultos, temos controle sobre o que sentimos. É injusto exigir isso dos pequenos.

Prefira explicar que esses sentimentos são normais, mas que reagir da forma que a criança reagiu não é bom. Explique, por exemplo, que você ficou triste também por vê-lo chorar, mas que o jeito certo de resolver isso é como estão fazendo agora, com conversa. Explique ainda que nem sempre as coisas podem ser do jeito que queremos, e que os adultos também têm limitações e frustrações. É importante que a criança entenda que vai lidar com situações adversas durante toda a vida, e que precisa encará-las de formas saudáveis. 

Ensinar a lidar com as emoções é um dos maiores desafios para os pais. No entanto, para garantir que seu filho cresça para ser um adulto feliz, é necessário apresentar limites e frustrações. Boa sorte nessa jornada, e lembre-se que o diálogo é sempre o melhor jeito de educar!

 

Amanda R. Comício - psicóloga e educadora

 

Tags: Comportamento, Criança, Educação e Comportamento

voltar para Educação e Comportamento

left tsN center fsN bsd c15n show fwB b10s|left fwR tsN b10s bsd|left show fwR normalcase tsN bsd b10s|bnull||image-wrap|news login uppercase fwB|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase c05 fwR|tsN fwR normalcase|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||