Brigas entre os pais

Publicado por em 29/06/2018 às 23h26

Brigas entre os paisConflitos fazem parte de qualquer família. Não podemos imaginar uma família que nunca briga por nada e parece ter saído de um comercial de leite desnatado, onde todo cenário é bege e tem como fundo musical uma melodia alegre e, ao mesmo tempo, tranquila e reconfortante. A vida real não tem trilha sonora nem é colorida apenas com tons pastéis. Muitas vezes as cores fortes sobressaem-se nos conflitos. É preciso enfatizar que é natural haver brigas familiares. No entanto, é preciso cuidar muito e ponderar sobre a frequência e a intensidade desses conflitos, em especial quando as discussões ocorrem entre os pais (casados ou separados) na frente dos filhos.

Atualmente, os estudos na área descobriram uma série enorme de fatores que tanto podem ser bons, quanto nocivos ao desenvolvimento dos seus filhos. Não é apenas dizer qual comportamento é “adequado” ou “inadequado”, mas a indicação de qual dos seus comportamentos ajudam (são fatores de proteção) ou prejudicam (são fatores de risco) o desenvolvimento global dos seus filhos. Os resultados destes estudos são muito claros e revelam que não basta que vocês tenham ótimas práticas educativas, é essencial que exista bom relacionamento entre vocês.

 

Se já vimos que é praticamente impossível não haver conflitos familiares, é indispensável ter consciência de que a melhor forma de transmitir um valor moral, ou um comportamento, para nosso filho é através do exemplo. Desde muito cedo, nossos filhos são excelentes observadores e estão atentos, o tempo todo, ao tipo de comportamento emitido por vocês, que geralmente são incorporados ao seu próprio repertório comportamental. Se a situação entre os vocês é frequentemente belicosa e não saudável, seus filhos vão aprender um modelo de se relacionar que não é salutar. E o contrário também é verdadeiro, um bom relacionamento vai ensinar um modelo positivo e benéfico de se relacionar.

Muitas vezes, os filhos sentem-se culpados pelas brigas entre os pais. Principalmente, filhos menores podem não entender o motivo real da discussão e podem vir a acreditar que eles são o motivo da discórdia. Aliás, essa situação em caso de pais separados é bastante frequente. Nunca se deve pedir aos filhos que tomem partido, ou pior ainda, falar mal do parceiro trazendo uma situação muito prejudicial conhecida como “alienação parental”.

Penso que bater portas, gritar e xingar um com o outro, agressões físicas ou ficar enraizado no silêncio podem trazer cicatrizes emocionais para seus filhos. No entanto, brigas existem e fazem parte dos relacionamentos, mas se os pais evitam criticar o outro e tentam resolver seus conflitos de maneira construtiva, os filhos não serão prejudicados pelos conflitos.

Se, eventualmente, uma discussão sair do controle é crucial sentar com seu filho e conversar sobre o que aconteceu. Evitar brigar na frente dos seus filhos é fundamental, mas não pensem que apenas o fato de irem até o quarto salva a situação. Seus filhos estão alertas e percebem palavras sarcásticas e silêncios gelados entre vocês. Diga claramente que ele não teve nada a ver com o conflito e até solicitem desculpas se o comportamento de vocês foi inadequado, como gritar ou xingar. É muito valoroso que seu filho aprenda que vocês erram e sabem reconhecer seus erros. Fazer com que seu filho acompanhe a resolução da briga é uma boa medida, sempre dentro do contexto da sua idade e maturidade.

Em resumo, conflitos continuados e ou ríspidos podem trazer danos aos seus filhos: eles sentem que não estão seguros, preocupam-se com a ideia de tomar partido, acham que a culpa é deles, tem um modelo inadequado de resolução de conflitos, produzem baixa autoestima, induzem a comportamentos agressivos, a qualidade das práticas parentais fica seriamente rebaixada e a relação entre vocês torna-se descuidada.

Como em outras situações, relacionar-se não é simples nem fácil. É preciso, primeiramente, ter consciência do problema e, em seguida, adquirir e exercitar habilidades específicas para lidar com ele.

Fazemos tantas coisas difíceis, não é mesmo? Ficamos horas escrevendo algum relatório, preparando uma receita complicada ou lavando o carro para deixá-lo brilhando e sem nenhuma marquinha. Fazer um esforço para conviver harmoniosamente com sua família e deixar um legado saudável, otimista e que favoreça o desenvolvimento do seu filho é muito mais gratificante e vital!

Crie Momentos Felizes em família sempre!

 


claudiavitale@gmail.com
/psicologaclaudiavitale
21 3563-8246
  Shopping Champagnat
Rua Haroldo Cavalcante, 420 - sala 12
Recreio dos Bandeirantes - Rio de Janeiro - RJ

 

 

 

Tags: Criança, Educação e Comportamento

voltar para Educação e Comportamento

left tsN center fsN bsd c15n show fwB b10s|left fwR tsN b10s bsd|left show fwR normalcase tsN bsd b10s|bnull||image-wrap|news login uppercase fwB|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase c05 fwR|tsN fwR normalcase|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||