Adaptação escolar

Publicado por em 15/09/2017 às 19h07

Adaptação EscolarToda mãe gostaria de passar, pelo menos os dois primeiros anos de vida do bebê, tipo mamãe canguru: levando o filhote numa bolsa, agarradinho, pra onde fosse. Mas, como isso não é possível, chega o momento de deixá-lo na escola. Depois de pedir indicações e fazer mil visitas em busca desse lugar especial, que vai abrigar seu filhote,  é chegado o 1º dia na escola e, com ele, o período de adaptação.

O período de adaptação na escola é uma etapa delicada pela qual pais e crianças passam. Se para nós, adultos, o primeiro dia em um novo trabalho não é fácil, para a criança, o primeiro dia de escola não é diferente.

A adaptação da criança na escola pode demorar de um dia a um mês, variando de criança para criança. Procure não comparar a adaptação do seu filho(a) com a de outras crianças, pois isso pode gerar uma expectativa extra, desnecessária. Cada criança tem uma personalidade diferente e reagirá com tempos diferentes para socialização em novos ambientes. O mais importante é que o responsável pela adaptação escolar esteja seguro da sua escolha. Acredite, isso faz toda a diferença. 

Adaptação escolar no berçário...

Até uns cinco ou seis meses de idade, costuma-se dizer que a adaptação é mais dos pais do que dos bebês. Os pais precisam - e devem - estar seguros que estarão delegando os cuidados com seu bebê às pessoas certas. Normalmente os bebês, apesar de alguns estranharem um pouco a nova rotina, adaptam-se bem as novas pessoas que cuidarão dele e a transição costuma ser tranquila.

Adaptação escolar entre  seis meses até os três anos de idade...

Para crianças desta faixa etária a adaptação é um pouco mais trabalhosa, pois ela já estranha novas pessoas e não consegue elaborar um raciocínio para compreender o que significa a escola, o que está fazendo ali e, principalmente, que os pais continuam a existir mesmo quando "desaparecem" da sua frente. É um aprendizado onde tudo é novidade e, mais uma vez, o responsável pela adaptação é figura chave, pois deve passar tranquilidade, paciência e, principalmente, confiança de que está fazendo o melhor para a criança.

É importante que a mãe, o pai, avós ou alguém com quem a criança tenha um vínculo afetivo forte acompanhe-a na rotina da escola durante os primeiros dias. Essa pessoa, ao chegar à escola, introduzirá a criança ao responsável pela turma, ficará um tempo por perto e depois se afastará, ficando em algum espaço que a escola tenha reservado para a espera.

Sempre que a ansiedade, insegurança ou choro se aproximarem, o responsável da escola deverá levar a criança ao aconchego desta pessoa para que ela saiba que tem um respaldo e que não foi abandonada. É imprescindível que os pais permitam essa aproximação, pois a criança precisa sentir-se segura para formar vínculos com a professora e os novos amigos. Se o responsável pela adaptação permanece na sala de aula a criança tende a ficar o tempo todo solicitando-o e não conseguirá abrir-se para estabelecer novos vínculos de relacionamento.

Aos poucos, a criança vai percebendo como é gostosa essa nova rotina e começa a entender o que significa a escola e apreciará a conquista desse novo grupo de amigos, que será o seu primeiro núcleo social depois da família.

Adaptação escolar partir dos quatro anos  de idade...

Esta adaptação costuma ser bem tranquila, pois a criança já verbaliza bem seus sentimentos e desejos, tendo compreensão do que acontece com ela. Neste caso, dois ou três dias já costumam ser suficientes para que a criança se integre ao novo ambiente.

No entanto, é comum que algumas crianças fiquem um pouco ansiosas e, até mesmo, tentem evitar ficar sem a presença do responsável. Afinal, a casa é um espaço que ela já domina, conhece tudo e sabe como conseguir as coisas com cada adulto que ela convive desde que nasceu. A escola poderá lhe parecer, num primeiro momento, um desafio que ela não tem vontade de enfrentar, entrando em cena o receio do novo. Cabe aos pais ressaltar os pontos positivos da escola, elogiando o ambiente, os novos amigos e as brincadeiras, etc.

Adaptação escolar dos pais...

O sentimento de culpa:  Na hora de deixar o pequeno na escola passa um filme pela cabeça dos pais ... Aí vem a culpa de não poderem estar o tempo todo com o filho, principalmente se a criança precisar ficar por período integral na escola. Alivie-se, esse é o lindo ciclo da vida onde a gente começa a abrir portas para que os filhos tenham as suas próprias vidas. Eles precisam de novas experiências e a convivência com outras crianças é muito produtiva para a construção da personalidade dos pequenos. Você continua sendo uma boa mãe (ou pai) e está encaminhando o seu filho para a vida, de forma segura. Solicite e conte sempre com o apoio da escola e, tenha certeza, vai dar tudo certo.

 

Abraços,
Andreia S. Jenkins

Bio: Andreia S. Jenkins é educadora, formada em Literatura pela UFRJ e consultora sobre comportamento infantil e relação mãe-filho.
Tags: Adaptação Escolar, Bebê, Criança, Educação e Comportamento

Enviar comentário

voltar para Educação e Comportamento

left tsN center fsN fwR bsd b01 c15n show|left fwR tsN b01s bdt|left show fwR normalcase tsN bdt b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 c05 sbse fwB bdt|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase fwB c05 b01 bdt|tsN fwR normalcase c15nesw b02 bdt|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||