Simplifique e ensine seu filho a viver com menos!

Publicado por em 19/07/2016 às 15h37

Simplifique e ensine seu filho a viver com menos

Devemos simplificar e ensinar nossos filhos a viverem com menos

Olá, aqui estamos novamente com um assunto muito sério.

Sempre temos em mente em nossa conversa, na maioria das vezes, a troca de conhecimentos e a construção de saber acerca da criação de filhos e este tema vai exigir muito porque ele está diretamente ligado a nós, como pessoas, profissionais e mães.

A questão aqui se chama consumismo.

E não fique com ar de enfado, porque é aprendendo a consumir coisas que, infelizmente, temos visto pessoas ‘consumindo pessoas’...  

Todos os dias somos bombardeados por uma série de falas, imagens, sons, cheiros e pessoas querendo vender algo.

Temos, inclusive, pessoas que têm o hábito do consumo como terapia – é só sair e comprar alguma coisa que me sinto melhor...

Temos visto de umas décadas para cá, que a sociedade tem super valorizado a aquisição de bens, ligando-os diretamente a status social e econômico.

E temos visto, também, que as pessoas que optam por um estilo de vida mais simples e moderado são vistas com certa desconfiança.

Pois bem; pela análise e observação, sabemos que na humanidade, os valores mais altos estão concentrados nas mãos de poucos, o que nos leva à conclusão óbvia que nem todos serão milionários. E nem por isto os demais são infelizes ou não têm qualidade de vida.

Então devemos, desde cedo, eleger os valores que temos e, principalmente, disseminaremos aos nossos filhos.

Não nos esqueçamos de que o ensinamento mais objetivo parte da exemplificação; portanto, observe a si mesma e reflita no tema de hoje.

Sou consumista?

Se sim, porque consumo em excesso?

Tenho o hábito de camuflar minha carência interior com aquisição de alguma coisa?

Sim, é ruim confessar, mas a aquisição desenfreada demonstra desequilíbrio interior em alguma parte do seu ‘eu’. Funciona como mecanismo de troca, de compensação.

Minha autoestima está tão baixa a ponto de me fazer acreditar que valho pelo que tenho e não pelo que sou? Perdoe-me a dureza desta frase...

Veja que é preciso primeiro compreender em que grau apoiamos a ideia do ter muito para ser mais...

Desde cedo devemos sinalizar para nossos filhos - desde bebês-, o limite necessário à vida em sociedade – e a família, mesmo de apenas três pessoas (mãe, pai e bebê) é uma sociedade em potencial!

É aqui e agora que ele tem que entender que as coisas não caem do céu e que viver rodeado de coisas não significa ser feliz.

Desde cedo devemos ensiná-lo a ouvir um não (aqui vem de novo a autorreflexão: você aceita bem um não?)

Um não nas vezes que deseja algo que não pode comer ou beber; um aguarde nas vezes que precisa esperar o momento do colo.

Quando em crescimento, pequenos ajustes como estes evitarão que ele queira ou tome brinquedos, alimentos ou roupas das crianças com as quais convive.

Sinceridade na fala e exemplos na conduta farão com que ele entenda que este é seu estilo de vida e que com ele será feliz.

Estimule-o desde cedo a brincar ao ar livre; incentive sua inventividade com as coisas que tenha à mão para criar um brinquedo; curta com ele momentos de filmes, preparo na pipoca, parada para o lanche – observe que são elementos que podem ser desenvolvidos dentro de casa...

Estimule-o a receber e dar carinho; dê e receba seus abraços; compartilhe com ele toque de mãos, mãos nos cabelos, beijinho de esquimó (não conhece? Aquele com as pontinhas do nariz...).

Parece brincadeira, mas não é; com sua criatividade aguçada, com um ambiente fraterno e de carinho, ele compreenderá, desde cedo, a simplicidade da vida e a verdade das relações sinceras.

Verá e valorizará as pessoas como seres humanos e não como objetos descartáveis, consumíveis.

Suas relações futuras com os bens materiais e os valores morais e éticos serão fatores decisivos em sua vida.

Assim você perceberá que a simplicidade desenvolvida desde cedo estimulará seu filho a ser muito mais com menos.

Criando um ser ético, fraterno, criativo, inteligente, equilibrado, você está municiando seu filho das competências e valores reais para ter sucesso em sua vida.

E se esse sucesso trouxer bens materiais você ficará tranqüila sabendo, do fundo de sua alma, que ele será dono e senhor deles e nunca seu escravo.

Categoria: Filhos

Enviar comentário

voltar para Diário de Mãe

left tsN center fsN fwR bsd b01 c15n show|left fwR tsN b01s bdt|left show fwR normalcase tsN bdt b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 c05 sbse fwB bdt|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase fwB c05 b01 bdt|tsN fwR normalcase c15nesw b02 bdt|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||