Ser mãe é difícil e educar não é fácil

Publicado por em 01/09/2016 às 20h55

“Faz-se precisa a educação pessoal e coletiva;

da primeira decorre o progresso particular;

da segunda, a evolução do mundo e das suas leis.”

Emmanuel, em Palavras do Infinito

Como foi feliz o autor citado na elucidação dos dois enfoques nos quais uma criança deve ser educada; para melhorar a si e contribuir para a melhoria da sociedade.

Ser mãe é difícil, educar não é fácil

 

Outro dia falei da importância dos pais neste processo, da responsabilidade pela formação do ser que nasce e vive em seus braços.

Toda mãe deve ser uma educadora, mas para que isto aconteça é importante não misturar o papel de mãe com o de amiga, deixando de lado a proteção excessiva decorrente da maternidade para que eduque sua criança como deve ser feito, é necessário um distanciamento que requer reflexão e aprendizagem.

O primeiro passo é ‘ver’ a criança como um ser à parte, potencialmente autônomo e que deve ser criado para manter-se assim; portanto, nesta hora, é preciso não olhar para o seu filho Antônio e sim para a pessoa Antônio. O que ele traz de virtude? E de defeitos? E como você, como educadora – agora é você que não pode misturar os papéis, a mãe fica para outro momento-, pode aumentar as virtudes e diminuir os defeitos deste ser que está sob sua orientação?

Em que ele é egoísta ou pródigo em excesso? Valoriza muito a todos e pouco a si mesmo? Como equilibrar esta relação, para ensiná-lo a ver as suas próprias qualidades e compreender que todos trazem algo a melhorar e, portanto, as pessoas devem ser tratadas com respeito e com a devida cautela, para que no futuro ele não se machuque tanto?

Tem tendências que precisam ser monitoradas e observadas com atenção? É excessivamente grosseiro com as meninas? Hora de ensinar o cavalheirismo. Tem estopim curto e briga com os colegas? Agora a hora é de ensinar paciência. Gosta de dormir até tarde e não termina as atividades que lhe competem durante o dia? É o momento de aprender disciplina. Desanima facilmente ante um obstáculo? Precisa aprender a perseverança. É impulsivo e age primeiro para pensar nas consequências depois? É o momento do equilíbrio. E assim por diante.

Veja, que para ser educadora, é preciso ver a realidade e não mascará-la por achar que ama, pois um ser sob sua responsabilidade que não recebe a educação necessária, no tempo certo, será visto por você, mais tarde, tendo que responder às normas da sociedade e elas sempre serão mais severas e não poderão levar em consideração, no julgamento, as virtudes que você conhece e sabe que ele tem!

Portanto, é importante, aprender a desempenhar os dois papéis: eduque seu filho com a severidade que você sabe ser necessária no momento e, na primeira oportunidade, depois que perceber que o ensino fez efeito, chame-o para um conversa e agora sim, ele pode receber um chamego, um afago, um abraço, um sorriso de perdão e muitos incentivos para desenvolver tudo o que traz dentro de sim, de bom, e com seu auxílio, extrair de sua personalidade tudo aquilo que poderá ser causa de sua infelicidade futura.

Ser mãe não é fácil, educar é difícil, mas temos dentro de nós o fundamental para nos sairmos bem nas duas situações: amor!

Categoria: Filhos

Enviar comentário

voltar para Diário de Mãe

left tsN center fsN fwR bsd b01 c15n show|left fwR tsN b01s bdt|left show fwR normalcase tsN bdt b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 c05 sbse fwB bdt|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase fwB c05 b01 bdt|tsN fwR normalcase c15nesw b02 bdt|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||