Filhos

Incentivando a leitura desde cedo

Publicado por Vanessa Motta Reis em 25/03/2015 às 21h26

Incentivando a leitura desde cedoSabemos que a leitura traz diversos benefícios a criança como ajudar a estimular a fala, a ampliação do vocabulário, um melhor desempenho escolar, a criança que lê escreve melhor e tem mais senso crítico, por isso é importante que a leitura esteja presente na vida da criança desde os primeiros meses de vida.

Mas como incentivar as criança a leitura já que estamos vivendo num momento onde os brinquedos cada vez mais tem recursos tecnológicos que ganham a atenção das crianças em questão de segundos?

De fato não é uma tarefa fácil, mas podemos interagir com nossos filhos tornando o momento da leitura uma atividade divertida para que a criança tenha prazer em ler, aqui em casa a Malu começou cedo com livrinhos, ela tinha apenas seis meses, apesar de eu não ser nenhuma devoradora de livros sempre incentivei.

No começo o livro era usado como brinquedo, por exemplo, no banho sempre tinha um livro, e no meio dos brinquedos também, eram livros só de figuras grandes e coloridas que chamavam a atenção, não tinham historinhas, essa é uma fase em que os livros ajudam a estimular a fala sempre mostrávamos a figura e falávamos devagar o nome do bicho para ela, é importante pronunciar os nomes das figuras ou bichos sempre corretamente e devagar e sem forçar a criança, nesta fase a criança está conhecendo tudo ao seu redor e presta atenção, mas não se iluda ela não vai sentar e passar muito tempo nesta atividade, mesmo assim deixe o livro sempre por perto, no meio do seu convívio com os brinquedos.

Com mais ou menos um ano e meio, quando a Malu começou a falar algumas palavrinhas e já entender algumas coisas, começamos a ler com ela a noite antes de dormir, como o papai passava o dia todo no trabalho a noite era ele quem fazia a leitura, Malu adorava esta atenção do pai talvez por ter um tempo só dela com ele. Antes que eu me esqueça era sempre o mesmo livro, a mesma historinha!

Hoje a Malu está com quatro anos e gosta muito de livros, está começando a aprender as letrinhas e os números na escola, ela fica toda feliz quando reconhece um letrinha no livro principalmente se for a letrinha “M” e mãe sabe como é né, fica toda boba!! Espero que este interesse por livros continue para sempre.

Vou deixar aqui algumas dicas do que já fizemos (mamãe e papai) com Malu para incentivar os livros e a leitura aqui em casa, vamos lá?

Como incentivar a leitura das crianças

  1. Uma dica muito bacana é fazer atividades com seu filho que possa estar relacionada com um livro, uma leitura sobre animais fica ainda mais interessante depois que a criança teve a oportunidade de visitar o zoológico e ver de perto os bichos, fizemos isto e foi ótimo.
  2. Se a criança estiver em fase de alfabetização, misture a leitura com uma brincadeira, leia junto com ela e depois peça para ilustrar o livro ou ainda você pode ler e pedir que a criança faça representações da história lida.
  3. Leve seu filho a uma livraria, escolha um livro juntos e aproveitem para ler no local, deixe ele curtir o ambiente e ver que a leitura está presente no dia a dia de muitas pessoas.Algumas livrarias, inclusive, têm espaços para leitura (sem que os livros precisem ser comprados!).
  4. Apresente uma biblioteca para o seu filho. Hoje, nas grandes cidades, muitas livrarias e bibliotecas públicas oferecem atividades específicas para as crianças. E esse programa ainda é de graça.
  5. Em casa guarde os livros num local de fácil acesso para a criança, assim sempre que quiser ela se sentirá a vontade para pegá-lo.
  6. Lembre-se a leitura deve ser uma escolha e não uma obrigação, a criança precisa sentir prazer, portanto deixe-a escolher o livro que ela quer ler, respeite esta escolha, mesmo quando você gostaria que o livro fosse outro.

A leitura estimula a imaginação da criança e como elas tem imaginação de sobra aproveite para participar deste mundo delicioso da imaginação com seu filhos. Incentive! Estimule!

Mamãe
Vaness Motta Reis

Categoria: Filhos
Comentários (2) e Compartilhar

Banho de ofurô em bebês e seu benefícios

Publicado por Vanessa Motta Reis em 08/03/2015 às 23h16

Vou compartilhar hoje um pouquinho da minha experiência com o banho de ofurô, quando a Malu nasceu (2010) o banho de ofurô era novidade eu mesma nunca tinha ouvido falar até que um dia chegou meu marido em casa com um balde, isso mesmo, balde! Todo feliz me disse “vamos dar banho de balde na Malu hoje” e eu surpresa e contrariada ao mesmo tempo neguei, “como assim, um bebê tão pequenininho dentro de um balde, loucura”.

Banho de ofurô em bebêsMalu teve muita cólica, quase enlouqueci, começava a chorar as 17:00hs e só parava lá pelas 22:00hs as vezes as 23:00hs da noite, era uma aflição, quando ia chegando perto das cinco da tarde olhava pro relógio já preocupada em como seria aquele final de dia e começo de noite.

Foi ai que meu marido disse “vamos tentar, quem sabe ela não relaxa” e foi dito e feito! Colocamos a Malu no balde e pra nossa surpresa ela dormiu dentro da água logo na nossa primeira tentativa, ela simplesmente relaxou. A partir deste dia o banho de ofurô (balde) passou a ser rotina em casa. Muitas foram as vezes que ela dormiu no balde, outras no trocador logo depois do banho.

O Banho de ofurô não cura cólicas, mas ajudava muito a Malu relaxar e descansar, no primeiro mês, ela dormia próximo das 23:00hs e acordava só 04:00hs para mamar e voltava a dormir em seguida, no segundo para o terceiro mês já dormia de oito a nove horas por noite.

Banho de ofurô em bebêsJá a Valentina, minha mais nova não teve cólicas, mas em compensação luta contra o sono, até parece que ela e o sono são inimigos, nas primeiras semanas cheguei a ficar com ela uma hora e meia no colo para dormir e quando parecia que ela tinha adormecido, colocava no berço e adivinha?! Arregalava os olhos, chorava e voltava ao colo para tentar dormir novamente.

Pra Valentina compramos um ofurô, desta vez não foi balde e também passou a ser rotina aqui dar banho de ofurô, ela nunca dormiu durante o banho como a Malu, mas é sair do banho, mamar e dormir. Hoje Valentina já está com três meses completos e dorme oito horas seguidas a noite, mama e volta dormir acorda todos os dia as sete da manhã.

O banho de ofurô é conhecido por ser um banho relaxante, portanto optei por usar o banho de ofurô somente para acalmar as crianças, o banho para realizar a higiene é feito na banheira próximo ao horário do almoço e a noite o ofurô para descansar, mas conheço outras mães que usam o ofurô para dar o banho mesmo e só passaram a usar a banheira depois dos seis meses de idade.

Como preparar o banho de ofurô

  1. Você pode colocar o ofurô no chão ou em cima de uma bancada segura para não cair.
  2. A água deve ficar no ombro do bebê, para facilitar encha o ofurô mais ou menos até um pouco abaixo da metade, coloque o bebê dentro e veja até aonde a água vai se precisar de um pouco mais complete com uma caneca se for um pouco menos use a caneca para retirar, quando você retirar o bebê da água faça uma marcação do lado de fora do ofurô para já ter a medida certa nos próximos banhos.
  3. A temperatura da água é a mesma da banheira, entre 36º e 37º, dentro do balde a temperatura pode parecer um pouco mais quentinha do que na banheira, mas é normal, o ofurô mantém a temperatura por mais tempo, não esfria tão rápido, o que permite que o banho seja mais longo (o bebê fique mais tempo na água).
  4. Antes de colocar o bebê no banho faça a higiene (ainda no trocador) no bumbum, lembre-se, se você já deu um banho no dia com sabonete o segundo banho deve ser sem o uso do mesmo para não ressecar a pele da criança.
  5. O Banho de ofurô pode ser dado até o sexto mês ou enquanto o bebê couber no ofurô e desde que ele não fique em pé.
  6. Coloque o bebê e o ajude com as perninhas para que ele fique na posição sentada, mas fique tranquila que o bebê vai se acomodando sozinho até achar a maneira mais confortável para ficar, com uma das mãos apoie a cabeça abaixo do queixo para a cabecinha não cair para os lados ou para frente. Por volta do três meses o bebê já consegue sustentar a cabeça.
  7. Nos primeiros dias, até que a mãe se sinta segura pode ser necessário a ajuda do papai ou de alguém próximo para pôr e tirar do ofurô.
  8. Nesta hora vale cantar uma música calma, fazer carinho na cabecinha e na testa, deixar a luz do ambiente mais escurinha e o mais importante aproveite o momento que será simplesmente delicioso para o bebê e os pais.

Dica: Vale testar o melhor horário para o banho da noite para que o bebê tenha um sono melhor e durma mais horas seguidas, pois não existe uma regra, aqui em casa a Malu tomava banho por volta das 22:00hs dormia às 23:00hs e tinha uma noite tranquila, só acordava lá pelas 04:00hs da madrugada pra mamar, já a Valentina não aguenta tanto, toma banho as 19:00hs dorme mais ou menos as 20:00hs e acorda entre 03:00hs as vezes às 04:00hs da madrugada para mamar.

O banho de ofurô passa ao bebê a mesma sensação do útero materno, por isso o banho é tão prazeroso, um momento de relaxamento e analgesia, melhorando o choro, a agitação, a insônia e também as temidas cólicas.

Para as mamães que quiserem conhecer um pouquinho mais o ôfuro da Valentina, ele é da Burigotto. Conheça Aqui.

Beijos e até a próxima!

Mamãe
Vanessa Motta Reis

 

Categoria: Experiências, Filhos
Comentários (0) e Compartilhar

Carta de um recém-nascido para o papai

Publicado por Vanessa Motta Reis em 05/03/2015 às 22h07

Carta de um recém-nascido para o papai

Papai, talvez você não saiba o tamanho da sua importância em nossas vidas, minha e da mamãe, por isso resolvi te contar o quanto você é fundamental nos meus primeiros dias de vida.

É você papai o equilíbrio emocional da nossa família, sua presença nos passa toda a segurança que precisamos neste momento, você é nossa estrutura neste período de fragilidade que são os primeiros dias após o meu nascimento.

A mamãe está com os hormônios em revolução, preocupada se vai conseguir ou não amamentar, algumas vezes ela chora à toa, por tudo e por nada ao mesmo tempo, se sente cobrada porque são muitas as mudanças, suas emoções estão abaladas, ela sente medo, alegria, felicidade, insegurança, enfim papai, uma mistura de sentimentos. Mamãe está cansada tem dormido pouco e acabou de passar por um procedimento de parto.

Ficarei muito feliz em ter você comigo e com a mamãe no momento em que ela estiver me amamentando, me pegue em seu colo e me ajude arrotar, eu irei me sentir confortável e ainda mais amado em seus braços.

Vou adorar te encontrar durante as trocas de fraldas, converse comigo enquanto me troca, talvez você não saiba, mas eu adoro o som da sua voz, a mesma voz que acalmou a mamãe durante o tempo em que estive em sua barriga agora me acalma também!

Aprenda a cantar músicas de ninar porque vou querer dormir nos embalos dos seus braços, nosso vínculo será para vida toda porque mesmo pequenininho já te amo muito e sei que serei amado também.

Pai você é a força da decisão clara e precisa em todos os momentos.

Sei que você vai me ensinar muito papai, mas já te aviso que também irá aprender bastante comigo!

 

Mamãe
Vanessa Motta Reis

 

Categoria: Filhos
Comentários (6) e Compartilhar

O encontro mais esperado

Publicado por Vanessa Motta Reis em 06/01/2015 às 22h38

Acho que para toda grávida e futura mamãe, o encontro mais esperado durante os nove meses é o momento em que conhecemos pela primeira vez nosso filho. O primeiro contato, o primeiro chorinho, a primeira mamada são simplesmente momentos inesquecíveis em qualquer gestação, seja na primeira ou na segunda gravidez.

Desde que fiquei grávida pela segunda vez sempre pensava em como seria o encontro das minhas duas filhas, como a mais velha (Malu) receberia a recém chegada (Valentina) e foi um encontro tão lindo, um amor que já existia no coraçãozinho dela, expontâneo.

Como meu parto foi a noite a Malu não aguentou esperar para conhecer a irmã, mas no dia seguinte assim que entrou no quarto foi logo perguntando numa ansiedade “cadê minha irmã”, não quis nem saber de dar oi ou beijo no papai e na mamãe.

Quando viu a irmã no berço arregalou os dois olhos e fez uma expressão linda e engraçada ao mesmo tempo, olhava com curiosidade e em menos de cinco segundos olhou pro pai e disse “acho que ela me quer”, Malu estava louca de vontade de segurar a irmã no colo.

O encontro mais esperado

É difícil descrever a expressão da Malu quando segurou a irmã pela primeira vez, posso dizer que foi para mim a melhor e a maior felicidade, com todo cuidado e carinho a Malu segurou a pequena Valentina, olhava cada detalhe da irmã, orelha, mãozinha, nariz, ela estava admirada!

Somente depois de entregar a irmã para a avó segurar foi que ela lembrou de mim, me beijou, me abraçou e disse: “obrigada mamãe pela minha irmã ela é linda!”

Momento único que quero levar para a vida toda!

Mamãe 
Vanessa Motta Reis

 

 

Categoria: Filhos
Comentários (0) e Compartilhar

left tsN center fsN bsd c15n show fwB b10s|left fwR tsN b10s bsd|left show fwR normalcase tsN bsd b10s|bnull||image-wrap|news login uppercase fwB|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase c05 fwR|tsN fwR normalcase|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||