Da Banheira para o Chuveiro

Publicado por em 02/03/2016 às 21h39

Chega uma hora começamos a nos perguntar qual o momento certo para nossos filhos deixarem a banheira e começar a usar o chuveiro, será que tem uma idade ideal para isto? Bom! Quando a Malu nasceu, eu como mãe de primeira viagem prestei muita atenção no que a enfermeira da maternidade que deu o primeiro banho junto com o papai explicava e sinceramente, o primeiro banho que dei na minha filha parecia mais um monte de manobras radicais para não deixar cair água nos ouvidos e no rosto dela que nem consegui curtir o primeiro banho.

Depois fui me adaptando e aprendi que fazer do meu jeito era mais fácil e assim os banhos fluíram, no começo ela chorava muito, acho que o meu medo de deixar ela escorregar ou sei lá o que, passaram todos para ela. Hoje posso dizer que para dar banho em um filho basta apenas seguir nossos instintos maternos e esquecer aquele monte de opiniões tipo, “segura aqui” “cuidado vai cair água no ouvido” “não demora tanto está frio” “lava primeiro a cabeça” e por aí vai, sabe as pessoas não fazem por mal, mas vamos combinar que neste momento tudo o que precisamos é do silêncio.

 Malu adorava o banho de ofurô (balde) li-te-ral-men-te, era o banho calmo, tranquilo e relaxante para ela, algumas vezes chegou a dormir nele, que delícia!!

Com um ano passamos a banheira do suporte para o chão do banheiro e aos poucos ela foi sentindo-se segura e foi saindo da banheira para o chão, primeiro sentadinha no tapete antiderrapante e não demorou muito estava lá em pé tomando seu banho de mocinha, mas preciso confessar que na primeira filha os cuidados excessivos atrapalharam um pouco e até hoje Malú não põe a cabeça debaixo do chuveiro.

Não me lembro de um banho que tenha pego minha filha no colo e levado para baixo do chuveiro comigo e sinceramente, como me arrependo!

Quando a Valentina nasceu, notei que as explicações da enfermeira foram as mesmas na maternidade, ahhh... mas desta vez foi diferente, não prestei atenção nas explicações, mas consegui curtir a emoção do pai babão dando banho na pequena.

Com a Malu eu começava a dar o banho com ela de barriga para cima na banheira e notei que quando virava ela de bruços o choro parava, Com a Valentina o banho sempre começava de bruços e desde o primeiro banho deixei a água escorrer pelo rostinho dela, sempre pouquinho claro e foi aumentando conforme ela foi ficando maiorzinha.

Valentina também teve seu banho de ofurô, mas nunca chegou a dormir dentro dele e apesar de ser bem agitada ela conseguia relaxar e tirar boas horas de sono depois do banho.

O primeiro banho de chuveiro da Valentina foi com a mamãe e ela tinha 20 dias,desta vez deixei o medo de lado, peguei minha filha no colo e dei seu primeiro banho de chuveiro com direito a molhar o rostinho e a cabeça, claro que tudo com muito cuidado para a bichinha não assustar.

Com sete meses a Valentina já sentava sozinha, então deixamos a banheira e começamos a usar um ofurô maior, para crianças até 3 anos, com 11 meses ela tomava banho sentada no chão do banheiro com a Malu e a mamãe do lado de fora admirando as crias. 

Hoje com um ano e três meses ela toma banho debaixo do chuveiro, coloco o tapete no chão e ela fica em pé e entra e sai do chuveiro, simplesmente adora! Ainda uso o ofurô a noite para ela relaxar.

As vezes sinto que muitas vezes eu dificultei um processo que era para ser mais fácil, mas tudo bem, vivendo e aprendendo.

Aí vai algumas dicas da minha experiência se te ajudar nesta transição.

  •          De vez em quando tome um banho de chuveiro com o pequeno, saia da rotina é uma delícia e quando chegar a hora ele estará mais familiarizado.
  •          O tapete antiderrapante é ótimo para esta transição e os brinquedos de banho ajudam a incentivar a criança a sair da banheira para pega-los no tapete, sempre com o incentivo dos pais.
  •          O seu medo e a sua insegurança também é o medo e a insegurança do seu filho, seja positiva e passe isso para o filhote.
  •          É importante tomar cuidado para não entrar água nos ouvidos ou deixar que a criança beba a água da banheira, mas desde o primeiro banho deixe escorrer um pouco de água da cabecinha para o rosto, assim o bebê já vai se acostumando.
  •          O banho precisa ser prazeroso e divertido, não só para o seu filho, mas para você também.

"Banho não precisa ter regras, precisa ter amor e confiança".

Beijos e até a próxima,

Vanessa

 

 

 

Categoria: Experiências

Enviar comentário

voltar para Diário de Mãe

left tsN center fsN fwR bsd b01 c15n show|left fwR tsN b01s bdt|left show fwR normalcase tsN bdt b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 c05 sbse fwB bdt|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase fwB c05 b01 bdt|tsN fwR normalcase c15nesw b02 bdt|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||