Amigo Imaginário na Infância

Publicado por em 25/09/2014 às 06h15

Muitos pais ficam preocupados ao ver seu filho brincando ou conversando com um amigo imaginário, mas calma, este tipo de imaginação e fantasia é muito comum nas crianças entre três e seis anos.

É normal que crianças tenham amigos imaginários?

Amigo imaginário na Infância“Brincar de faz de conta” é uma brincadeira saudável e importante para o desenvolvimento cognitivo, social e emocional da criança. As experiências de faz de conta ajudam as crianças a criarem recursos para lidar com situações reais, como as de conflito, amor, ansiedade, medo ou mesmo desenvolver a própria criatividade.

Para algumas crianças, além das brincadeiras de faz de conta, como “brincar de casinha” ou “brincar de médico” usando bonecos e objetos que a criança finge ser verdadeiros, tem também aquelas que criam um amigo imaginário, alguém invisível que só existe na imaginação da criança (normalmente é outra criança). E não é só um personagem invisível que pode se tornar o melhor amigo de seu filho, ele pode eleger um brinquedo ou um objeto que representa a figura humana e faz parte de sua rotina em casa ou na escola.

O diálogo fantasioso aprimora a linguagem oral, a criança conversa sozinha e fantasia situações do dia a dia (imita falas e gestos dos pais, professores ou coleguinhas) onde quem tem o domínio da situação são elas, com isso se sente importante e especial. Esse é um exercício para futuros diálogos com seus pares ou adultos com os quais se relaciona.

Ter amigos imaginários não quer dizer que a criança tenha dificuldades em fazer amigos de verdade, elas são tão bem integradas socialmente quanto às crianças que não tem amigos imaginários e estes não servem como substitutos das relações com outras crianças.

Amigo imaginário na infânciaA grande maioria das crianças sabe que seu amigo não é real, mas sim inventado por ela, um companheiro nos momentos em que esta brincando sozinha. O imaginário surge da necessidade de uma companhia, os filhos mais velhos e filho único tem uma probabilidade maior de ter um amigo imaginário, claro quedepende muito do quanto à criança é fantasiosa ou não e da sua personalidade.

O amigo imaginário pode ser também uma fonte de conforto emocional quando a criança passa por um momento de dificuldade como a chegada de um irmão ou a separação dos pais e nestes casos o amigo pode ser fundamental para a criança administrar as suas emoções. A fantasia faz com que a criança se acalme quando está ansiosa, carente, com raiva ou sentindo medo. Muitas vezes, usam a voz de mentira para poder dizer coisas que não diriam normalmente.

Se o seu filho tem um amigo imaginário, aceite sem se preocupar ou interferir, trate com naturalidade, não ignore os relatos da criança e esteja atento ao que ela faz e fala. Repreender a criança ou dizer que seu amigo não existe pode deixa-la confusa e envergonhada, mexendo com sua autoestima.

Por ser uma fase passageira, a criança encontra maneiras de abandonar o amigo sozinha e num belo dia, seu filho lhe dirá que o amigo foi embora.

Tags: Desenvolvimento, Educação e Comportamento

Enviar comentário

voltar para Desenvolvimento

left tsN center fsN fwR bsd b01 c15n show|left fwR tsN b01s bdt|left show fwR normalcase tsN bdt b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 c05 sbse fwB bdt|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase fwB c05 b01 bdt|tsN fwR normalcase c15nesw b02 bdt|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||