Infância - A melhor fase da vida

Publicado por em 07/06/2016 às 16h24

INFÂNCIA -  A MELHOR FASE DA VIDA: A IMPORTÂNCIA DE ESTAR PRESENTE DURANTE SEU DESENVOLVIMENTO.

Infância - A importância de estar presente durante o seu desenvolvimento

Olá! Hoje vamos falar sobre a infância, por isso, o início da nossa conversa será mais formal, uma vez que teremos que expor dados científicos para depois ficarmos mais à vontade em nossa conversa.

O desenvolvimento do ser humano se dá em vários aspectos:

  • Físico-motor,
  • Intelectual,
  • Afetivo-emocional e social;

Este desenvolvimento é iniciado no nascimento e vai até a idade adulta, quando atinge seu mais alto grau de maturidade e estabilidade.

Em geral as teorias psicológicas assim identificam as fases deste desenvolvimento:

O recém- nascido e o lactente  de 0 a 2 anos
1ª infância  de 2 a 7 anos
A infância propriamente dita    de 7 a 12 anos
Adolescência      de 12 anos em diante


Por que esta introdução mais séria? Para falarmos, com prazer e também com responsabilidade, sobre o desenvolvimento de nossas crianças; e o mais importante: a satisfação e a necessidade de estarmos por perto neste período.

O prazer de estar próximo a quem amamos é indiscutível e no caso da criança, é importante, pois é neste espaço de tempo que percebemos suas virtudes e também a existência de algum transtorno de conduta (falaremos sobre isto em outra oportunidade).

Observando nossos filhos desde o nascimento, acompanhamos as fases do seu desenvolvimento, como falado acima: - ele está bem no aspecto físico-motor, ou seja, seu desenvolvimento físico e seus movimentos estão em ordem? E no intelectual, como mostra e demonstra sua inteligência, sua presença de espírito? No lado afetivo-emocional percebemos afeto, amizade, amor e as reações deles a estes sentimentos? E no social, como ele interage com outras crianças, em grupo, em meio a várias pessoas?

Viu? Temos que estar presentes e atentos, pois são elementos que observamos quando estamos juntos, em família, na praça, nas festinhas, ou seja, no cotidiano.

É necessário estar ao lado dos nossos filhos e com eles interagir de maneira prazerosa e responsável, pois depende de nós a intervenção no momento certo para que ajustemos pequenos comportamentos e ele cresça saudável e em plenas condições de viver bem em sociedade.

E quando temos este hábito, de ver e enxergar as nossas crianças, acompanhamos seu desenvolvimento com equilíbrio e dele retiramos inúmeras situações inusitadas, alegres, agradáveis, que somente uma criança pode nos dar.

Uma criança não é um adulto em miniatura: ela tem características próprias de sua idade e reconhecer isto e valorizar esta faceta é gratificante!

Certa vez ouvi um repórter descrevendo sua visita à inauguração do Borboletário do Zoológico da cidade de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais.

Várias crianças saíam de lá e ele iniciou a entrevista de algumas; dentre elas, uma menininha que, disse ele, tinha a expressão extasiada, os olhinhos brilhantes quando ele lhe perguntou: - o que é uma borboleta?

E ela, segundos depois de alguma meditação responde com a singeleza e o fascínio que somente a criança tem: - Ah ! Borboleta é uma cor que voa!

Viu? Como não estar por perto e perder estes momentos de inocência, inteligência, presença de espírito, criatividade, naturalidade que nossos pequenos têm?

Não, não perca isto. Ache um tempo, crie um espaço, encontre solução, mas não deixe de viver este fascinante período da vida de seus filhos.

Até mais!

Mamãe,
Vanessa Motta Reis 

Tags: Desenvolvimento, Educação e Comportamento

Enviar comentário

voltar para Desenvolvimento

left tsN center fsN fwR bsd b01 c15n show|left fwR tsN b01s bdt|left show fwR normalcase tsN bdt b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 c05 sbse fwB bdt|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase fwB c05 b01 bdt|tsN fwR normalcase c15nesw b02 bdt|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||