O desenvolvimento da fala do bebê

Publicado por em 29/01/2014 às 01h07

É comum a ansiedade que os pais sentem para ouvir a primeira “fala” do seu filho, mas saiba que é preciso muita paciência e estímulo, afinal o bebê aprende a falar ouvindo conversas, tentando imitar os sons que ouve dos adultos e de outras crianças, praticando e dando significado a cada palavra.

Cuidado para não exigir de mais de você e da criança, pois, o desenvolvimento da fala deve acontecer de maneira natural, nada de comparações com outras crianças e isso vale para os irmãos também, afinal cada criança tem seu tempo e nenhuma é igual à outra! Se alguém vier a você com comentários do tipo: "Nossa, seu filho ainda não fala? Mas com essa idade já deveria estar falando!" ou "Seu filho ainda não fala? Olha só como o meu fala!", esse tipo de comentário deve ser ignorado. Não se incomode e nem se torture "Cada criança é única, não podemos comparar... Provavelmente seu filho faz coisas que o dela ainda não faz".

Para falar o bebê precisa ouvir bem, então fique atenta desde o nascimento até as fases de desenvolvimento na audição do seu bebê. Quando existe uma deficiência auditiva o som das palavras chega distorcido ao bebê dificultando o desenvolvimento da fala.

Você já deve ter ouvido falar que o bebê ouve quando ainda esta na barriga da mãe, então comece os estímulos ainda nesta fase de desenvolvimento do bebê isto irá contribuir bastante para o desenvolvimento da fala.

Estímulos para o desenvolvimento da fala

 

Estimulos para o desenvolvimento da fala

 

 

Estimular é amar

Ensinar é amar

Ser mãe é amar acima de tudo!

 

Os estímulos são muito importantes, o principal é conversar bastante com o bebê, mas atenção, nada de falar com a criança de maneira infantilizada usando termos no diminutivo como: “vem bincá” fale certo “vem brincar”, para que a criança tenha referência do que é certo desde o inicio do aprendizado.

Conte histórias para o seu filho, os livros além de estimular a imaginação da criança aumentam o vocabulário. Cantar ajuda a criança a perceber as sílabas, o ritmo e a entonação das palavras.

A Criança precisa sentir necessidade de falar, para que isso aconteça não dê tudo na mão quando ela apontar para o que quer, force ela falar. Por exemplo; se ela aponta para água pergunte, “você quer água”? Fale as palavras para que ela repita e aprenda. Estimule!

Brinque com a criança sempre conversando esta é a melhor maneira de ensinar, aponte para o pé e diga “pé”, aponte para a bola e fale “bola” associe as palavras aos objetos. Se o seu filho falar qualquer palavra errada não corrija dizendo está errado apenas repita a palavra de maneira correta e devagar, para que ela possa observar e aprender. Observe que crianças gostam de ouvir a mesma história várias vezes, isto porque elas aprendem através da repetição.

 

Evolução da fala

 

  • Nos primeiros 6 meses o bebê emite vocalizações e sons guturais.
  • Dos 6 aos 8 meses o bebê apresenta balbucio repetitivo e a imitação da entonação.
  • Em torno dos 12 meses iniciam-se as primeiras verbalizações com significado.
  • Com 1 ano a criança conhece seu nome, fala de 2 a 3 palavras além de “mama” e “papa”, imita palavras familiares, compreende ordens simples, reconhece as palavras como símbolos para objetos.
  • Entre 1 e 2 anos: Aos 18 meses a criança pode apresentar um vocabulário com 50 palavras, entre 18 e 24 meses seu vocabulário se amplia e se aproxima de 200 palavras, compreende a palavra “não”, combina duas palavras, reproduz o som de animais conhecidos, aponta figuras de um livro quando nomeadas, segue comandos simples.
  • Entre 2 e 3 anos, a criança usa sentenças curtas, de 3 a 4 vocábulos, nomeia figuras e objetos comuns, identifica partes do corpo, apresenta um vocabulário de 450 palavras, combina nomes e verbos, conversa com outras crianças assim como com adultos, aprecia ouvir a mesma história várias vezes.

Evolução da fala

 

 

 

A fala está ligada a emoção.

Crianças que recebem amor incondicional e muito carinho têm uma chance maior de aprender a linguagem do que aquelas que não recebem.

  •  Entre 3 e 4 anos, a criança possui um vocabulário de aproximadamente 1.000 palavras e já compreende ordens mais longas, conversas, histórias e músicas. Sua fala é mais fácil de ser compreendida por pessoas de fora de sua convivência e se comunica por sentenças simples de 4 a 5 palavras, já é capaz de relatar experiências pessoais, ainda sem muitos detalhes.
  • Entre 4 e 5 anos, o seu vocabulário aumenta para 1.500 palavras é capaz de compreender questões mais complexas e consegue usar o tempo verbal no passado. É capaz de definir algumas palavras e sabe listar itens que pertençam à mesma categoria, tais como animais carros etc. Explica como realizar algumas atividades, tais como pintar.
  • Entre 5 e 6 anos, a criança apresenta as habilidades de linguagem bem desenvolvidas. Aprende palavras mais especializadas de seu centro de interesse e expande sua habilidade em compreender fenômenos explicados verbalmente. É capaz de pronunciar todos os sons da língua com clareza, elabora sentenças mais complexas e gramaticalmente corretas e apresenta um bom vocabulário que está em contínuo crescimento. É capaz de iniciar conversação e sabe esperar sua vez de falar quando em grupo.

Se a criança não diz nenhuma palavra até os 2 anos, talvez exista algo errado. Neste caso um especialista poderá analisar se o problema é apenas físico ou se indica falhas na audição ou nos processos cognitivos do cérebro. Quanto mais rápido for feito o diagnóstico, menores serão os prejuízos para a comunicação.

Vanessa Motta Reis

Tags: Desenvolvimento

Enviar comentário

voltar para Desenvolvimento

left tsN center fsN fwR bsd b01 c15n show|left fwR tsN b01s bdt|left show fwR normalcase tsN bdt b01s|bnull||image-wrap|news login uppercase b01 c05 sbse fwB bdt|fsN fwR b01 bsd normalcase c05|b01 c05 bsd|news login uppercase fwB c05 b01 bdt|tsN fwR normalcase c15nesw b02 bdt|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||